Samsung faz parceria inédita com a Apple

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

7 de janeiro de 2019 às 15:05 - Atualizado há 2 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

A Samsung anunciou, neste domingo (6), que fechou um acordo com a Apple – uma de suas principais concorrentes – para permitir que seus clientes assistam conteúdos comprados pelo iTunes nas smart TVs da marca.

De acordo com o anúncio, a Samsung adicionará um aplicativo em suas novas televisões para que os usuários reproduzam filmes, programas de TV e aluguem novos conteúdos.

As TVs deste ano também suportarão o AirPlay 2 da Apple, que permite transferir conteúdos de iPhones para as televisões. O iTunes estará disponível nas TVs de mais de 100 países, enquanto o AirPlay 2 poderá ser usado em televisões da Samsung em 190 países.

“Trazer mais conteúdo, valor e funcionalidade de plataforma aberta para proprietários de televisores Samsung e clientes da Apple através do iTunes e AirPlay é ideal para todos”, disse Won-Jin Lee, vice-presidente executivo e chefe global de serviços de Smart TVs da Samsung.

As empresas não comentaram se a Apple pagará alguma taxa ou uma porcentagem das vendas feitas nas TVs da Samsung. O acordo é o segundo feito pela companhia da maçã com outras empresas de tecnologia. Em novembro de 2018, a empresa anunciou que o Apple Music, seu serviço de streaming, seria disponibilizado no Echo, o alto-falante da Amazon.

Estratégia da Apple?

O anuncio vem de encontro à uma queda nas vendas da Apple, que informou, na última quarta-feira (2), uma diminuição nas expectativas para o primeiro trimestre de 2019. Em uma carta para investidores, o CEO da companhia previu uma receita de US$ 84 bilhões para os próximos meses.