Relativity Space recebe US$ 140 mi para produzir foguete em impressora 3D

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

1 de outubro de 2019 às 17:49 - Atualizado há 12 meses

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Depois da SpaceX, Virgin Galactic e Blue Origin, uma nova empresa anunciou planos para realizar, em breve, viagens para o espaço. Criada em 2016, a Relativity Space possui sede em Los Angeles, onde está construindo o foguete Terran 1. Mas um detalhe chama atenção: a aeronave está sendo fabricada em uma impressora 3D.

O equipamento é capaz de criar peças com até 6 metros de altura. Segundo Tim Ellis, CEO da Relativity Space, a impressora produzirá 95% do foguete, com os últimos 5% finalizados com trabalhadores humanos. A aeronave poderá transportar 1.250 kg de carga.

A empresa usa instalações da Stennis Space Center da NASA, em Mississippi, para realizar testes nos motores do Terran 1 — até agora, foram mais de 200. Nesta terça-feira (1), a startup afirmou que levantou todo o dinheiro necessário para lançar sua primeira missão e entrar em operação comercial em 2021. Segundo a Relativity, o investimento levantado na última rodada foi de US $ 140 milhões, totalizando US$ 185 milhões arrecadados.

“Em breve, poderemos lançar o primeiro foguete totalmente impresso em 3D do mundo”, disse Ellis em entrevista ao The Verge. “Não será apenas um grande marco para a indústria aeronáutica, mas um enorme testemunho da tecnologia de impressão 3D e da fábrica que estamos construindo.”

Impressora em 3D na sede da Relativity Space, em Los Angeles.

A startup possui um contrato de arrendamento de 20 anos em uma Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, chamada LC-16. Neste local, ela planeja fazer o seu primeiro lançamento oficial do Terran 1. Por enquanto, a Relativity Space continuará testando vários sistemas da aeronave. 

De acordo com o CEO, a startup está trabalhando para futuramente construir aeronaves em apenas 60 dias. Mas não é só isso. A empresa ainda planeja levar seu processo de fabricação para Marte, construindo um foguete impresso em 3D na superfície do planeta.