Por que a Amazon Web Services investirá R$ 1 bilhão em São Paulo

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

6 de fevereiro de 2020 às 18:13 - Atualizado há 9 meses

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Amazon Web Services investirá R$ 1 bilhão em São Paulo nos próximos dois anos. A empresa de serviços de nuvem da Amazon irá expandir seu centro de dados, o único em que possui hoje na América Latina. A informação foi anunciada nesta quarta-feira (5) pelo governo do Estado.

Com o investimento, a AWS espera aumentar sua oferta de serviços de computação em nuvem. A cloud computing, como também é chamada, é uma parte importante na construção de startups e de suas soluções. Ao invés de terem que investir em tecnologia proprietária — escolha que as empresas de internet não possuíam há alguns anos —, as startups diminuem seus custos ao utilizar os serviços oferecidos pelas nuvens.

Apesar de ter sido a “porta de entrada”, a cloud computing vai além do armazenamento de dados. A AWS, por exemplo, reúne tecnologia de reconhecimento facial, inteligência artificial, internet das coisas, entre outros. No setor, concorre com empresas como Google, Microsoft e IBM.

Um facilitador para as startups construírem seus MVPs — testes que são feitos com a menor quantidade de investimento possível —, é que muitos desses serviços são oferecidos através de assinatura. Frequentemente, as empresas pagam apenas pelo o que usam.

A iniciativa de passar a oferecer serviços de computação em nuvem foi um aproveitamento das próprias experiências da Amazon. A AWS nasceu em 2006, como uma subdivisão da varejista. “Antes, nós tínhamos o varejo — a Amazon.com. Nós já éramos uma empresa muito grande, robusta, e sabíamos que era muito difícil lidar com a infraestrutura de servidores. O que percebemos é que se tínhamos essa dificuldade, várias outras empresas — pequenas ou grandes – deveriam ter também”, explicou André Nazareth, gerente de desenvolvimento de negócios para startups da AWS, em entrevista para a StartSe.

O investimento de R$ 1 bilhão em dois anos em São Paulo poderá incentivar ainda mais o desenvolvimento das startups. A companhia mira no potencial de um ecossistema em pleno crescimento — o Brasil foi o 3º país com o maior número de novos unicórnios em 2019.

Os olhos voltados para o Brasil não são apenas da AWS, mas também de sua empresa-mãe. No ano passado, a Amazon anunciou a sua expansão no país, passando a vender diretamente mais de 120 mil produtos. A companhia também trouxe seu serviço Prime, passando a oferecer entregas mais rápidas e gratuitas, streaming de vídeo e áudio, entre outros, em troca de uma assinatura mensal de R$ 9,90.