Ponto de virada: 3 empresas que transformaram seus negócios em meio à pandemia

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

30 de abril de 2020 às 13:15 - Atualizado há 1 mês

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, empresas precisaram adaptar seus modelos de negócio. Com a mudança de hábito da população, que adotou o home office, passou a recorrer às compras online e usar serviços digitais, as pequenas e médias empresas, principalmente startups, precisaram se transformar para atender essa demanda, criando novos produtos, serviços e soluções. Conheça algumas delas:

Voltz

A startup de scooters elétricas, que nasceu em Recife e chegou em São Paulo em fevereiro deste ano, precisou se adaptar ao cenário atual. Para divulgar seu veículos e acelerar as compras, a empresa tinha diversos showrooms espalhados pelo Brasil. Com os espaços físicos fechados, a startup montou uma espécie de mostruário virtual em um grupo do aplicativo de mensagens Telegram. Nele, os próprios clientes postam as fotos e profissionais tiram dúvidas sobre as especificidades de cada modelo da marca. Aqueles que indicam um novo cliente ainda podem ganhar pontos para serem trocados por itens da loja.

Dora

Especializada em crédito online, a fintech criou, em poucos dias, um novo negócio. Chamada “Compre dos Pequenos”, a plataforma permite que empreendedores divulguem seus serviços e produtos, disponibilizando a venda de vouchers que poderão ser usados depois da pandemia. Dessa forma, podem continuar operando e manter um fluxo de receita, mesmo em um período de crise. De acordo com a Exame, a nova plataforma possui hoje 2 mil empresas cadastradas, com adesão maior do que o próprio negócio original da fintech, que possui 120 clientes. A iniciativa não gera receita para a startup, mas aumentou em mais de 15x sua base de possíveis clientes.

Numenu

A startup, que nasceu em 2018 com a proposta de levar uma loja de conveniência para dentro de carros, viu sua receita cair consideravelmente com a pandemia. Pensando em se estabelecer e atender às necessidades de moradores de condomínios em meio ao isolamento, a empresa transferiu suas “lojas” para dentro desses locais. Nas últimas semanas, a Numenu passou a instalar suas gôndolas em prédios e hoje já está presente em mais de 20 condomínios em São Paulo.

A importância da retomada

Seja no varejo, na mobilidade, alimentação ou qualquer outro setor: as empresas que não entenderem esse novo momento, se adaptando a ele, poderão morrer. Com a pandemia, a StartSe também viu seu modelo de negócio ser atingido de forma rápida. Depois de perder cerca de 98% de receita em duas semanas, reequilibramos a empresa encontrando novas fontes de agir e reverter a situação recompondo 60% das perdas em apenas um mês. 

Pensando em ajudar outras empresas e preparar executivos, empresários e empreendedores para o ponto de virada, lançamos o Programa Exponencial de Retomada. Na próxima edição, que começará no dia 6 de maio, iniciaremos um novo grupo com aulas interativas, transmitidas via streaming e com um acompanhamento exclusivo. Saiba mais clicando aqui!