O que você precisa saber sobre inovação hoje – 14/02/2020

Startup cria bacon à base de fungos, investimento do SoftBank e muito mais

João Ortega

Por João Ortega

14 de fevereiro de 2020 às 19:08 - Atualizado há 2 dias

Reunimos, a seguir, as principais notícias relacionadas a inovação, tecnologia e empreendedorismo no Brasil e no mundo. O que você precisa saber para se manter informado nesta quinta-feira (13) é:

Startup cria bacon à base de fungos

Na tendência global de produtos semelhantes à carne, mas feitos com produtos vegetais, uma startup norte-americana desenvolveu uma espécie de bacon à base de fungos. A Prime Roots já disponibilizou o produto no mercado da Califórnia e afirma que o koji, fungo utilizado no alimento – que também é a base da bebida japonesa saquê – tem alto potencial de substituir proteínas animais.

SoftBank deve investir US$ 1 bilhão na América Latina

O grupo japonês SoftBank planeja investir US$ 1 bilhão em startups da América Latina em 2020. O valor é significativamente menor do que o investido no ano passado (US$ 1,6 bilhão). O fundo dedicado à região conta com um total de US$ 5 bilhões, que vão ser gastos ao longo dos próximos anos. O SoftBank tem cerca de 650 empresas em seu radar neste mercado.

Mobile World Congress é cancelado

O Mobile World Congress, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, foi cancelado nesta semana. A organização da conferência que acontece anualmente em Barcelona, na Espanha, tomou a decisão após diversas empresas cancelarem a presença por conta do surto do coronavírus. A medida foi anunciada apenas doze dias antes do congresso.

iFood oferece produtos para pets

O iFood está ampliando seu portfólio para além de restaurantes e supermercados. Em parceria com a startup Zee.Now, o aplicativo agora oferece produtos para animais de estimação. A novidade começa a funcionar nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo e posiciona o iFood na concorrência para se tornar um superapp.

Docket levanta R$ 34 milhões em investimentos

A Docket, startup de gestão de documentos e certidões, anunciou nesta quinta-feira (13) uma captação de R$ 34 milhões de fundos de capital de risco. A empresa, que utiliza inteligência artificial na análise de documentos, quer escalar sua solução para aumentar a desburocratização do Brasil.