O que é inovação nas empresas e porque a sua deve começar a fazer isso hoje

João Gobira

Por João Gobira

19 de março de 2020 às 13:05 - Atualizado há 3 semanas

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Conheça a definição do que deve ser uma das bases do seu negócio.

Você sabe o que é inovação nas empresas? É fato que o assunto é bastante comentado, especialmente em uma sociedade que preza por novidades a todo momento, mas nem todos conhecem a integridade da disrupção que o termo traz em sua essência.

Caso você se deparasse com essa pergunta, provavelmente pensaria em coisas novas que são aplicadas ao ambiente corporativo, o que de fato não está errado, mas quais são essas novidades? Em quais setores elas podem ser aplicadas? É necessário mudar absolutamente tudo para ter bons resultados?

É inegável que este é um assunto relevante. O Boston Consulting Group (BCG) até elabora rankings com as empresas mais inovadoras do mundo, o qual foi liderado pelas seguintes companhias no ano de 2019:

  1. Alphabet/Google
  2. Amazon
  3. Apple
  4. Microsoft
  5. Samsung
  6. Netflix
  7. IBM
  8. Facebook
  9. Tesla
  10. Adidas
  11. Boeing
  12. BASF
  13. T-Mobile
  14. Johnson & Johnson
  15. DowDuPont
  16. Siemens
  17. Cisco Systems
  18. LG Electronics
  19. Vale
  20. JPMorgan Chase

Se uma empresa do tamanho do BCG, de atuação internacional, se dá ao trabalho de fazer uma lista com as empresas mais inovadoras do ano, a qual já existe desde 2005, inclusive, é evidente que a inovação é um assunto realmente importante. Porém, sua relevância também se estende ao âmbito financeiro.

A strategy+business fez um estudo que constatou que as 1.000 empresas que mais investiram em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D, ou R&D na sigla em inglês para Research and Development) em 2018 gastaram, juntas, US$ 782 bilhões, valor 11,4% maior que os US$ 701,97 bilhões de 2017.

Outra informação que a empresa trouxe é que as 1.000 companhias citadas são responsáveis por 40% do investimento global em P&D de todas as fontes, contando fontes corporativas e governamentais. Portanto, pode-se supor que foram investidos US$ 1,955 trilhão em R&D apenas em 2018!

Este é um número altamente relevante, pois mostra que foram investidos US$ 5,356 bilhão por dia, US$ 223,17 milhões por hora, US$ 3,719 milhões por minuto e US$ 61,992 mil por segundo em P&D no ano de 2018.

Tudo isso deixa claro como a inovação é essencial no mundo dos negócios, mas, afinal de contas, em que ela consiste? Qual é a melhor definição? Por que a sua empresa precisa investir nessa área que movimenta milhões de dólares a cada minuto? Venha conosco e descubra!

O que é inovação nas empresas?

O que é inovação nas empresas?

Em um artigo do site Idea to Value, o autor Nick Skillicorn falou com 15 especialistas para saber quais eram suas definições de inovação. Os resultados foram os seguintes, em tradução livre, identificados por seus respectivos autores:

  • Transformar uma ideia em uma solução que agrega valor pela perspectiva de um cliente. – Nick Skillicorn, o autor do artigo
  • A aplicação de ideias que sejam novas e úteis. – David Burkus
  • Manter-se relevante. – Stephen Shapiro
  • Uma grande ideia, executada brilhantemente e comunicada de uma forma que é tão intuitiva quanto capaz de realizar completamente a mágica do conceito inicial. – Pete Foley
  • Uma oferta factível relevante, como um produto, serviço, processo ou experiência com um modelo de negócios viável que é percebido como novo e adotado pelos clientes. – Gijs Van Wulfen
  • A introdução de novos produtos e serviços que agregam valor à empresa. – Kevin McFarthing
  • Qualquer variação serve, desde que inclua “novo” e vá de acordo com as necessidades e desejos do consumidor. – Robert Brands
  • O caminho fundamental pelo qual a empresa traz valor constante aos negócios ou à vida do consumidor e consequentemente aos seus acionistas. – Paul Hobcraft
  • Um trabalho que entrega novos bens a novos consumidores em novos mercados e faz isso de forma a radicalmente melhorar a equação de lucratividade. – Mike Shipulski
  • Criatividade é pensar em algo novo. Inovação é a implementação de algo novo. – Paul Sloane
  • A implementação de ideias criativas com o objetivo de gerar valor, geralmente por meio de maiores receitas, menores custos ou ambos. – Jeffrey Baumgartner
  • Eu tento não definir “inovação” de uma forma que nós devamos suavizar o uso da palavra e do termo. – Stefan Lindegaard
  • Qualquer coisa que seja nova, útil e surpreendente. – Drew Boyd
  • A criação de valor orgânico e novo por meio da aplicação de criatividade, relacionamentos profundos com os consumidores e clientes e novos pensamentos. – Michael Graber
  • O futuro sendo entregue. – Jorge Barba

De acordo com as definições citadas, podemos extrair os aspectos mais citados da inovação:

  • Ter uma ideia (60%);
  • Executar a ideia (60%);
  • Endereçar um desafio real (40%);
  • Agregar valor à empresa (40%);
  • Perspectiva ou pensamento diferente (27%);
  • Mover-se adiante (13%);
  • A definição não é importante (13%);
  • Endereçar um novo mercado (7%).

Ao resumir as principais características das definições dadas pelos especialistas entrevistados, podemos chegar a uma “definição definitiva” de inovação, que seria algo como:

“A execução de uma ideia que endereça um desafio específico e agrega valor tanto para a empresa quanto para o consumidor.”

Porém, no final das contas, talvez o ideal não seja procurar por uma única definição, tendo em vista que ela pode variar de acordo com cada circunstância. Ainda assim, fica claro que todas elas rodeiam o mesmo conjunto de ideias, ainda que abordado por diferentes perspectivas.

Como atingir a inovação nas empresas?

Desenvolvimento organizacional (1946)

Por ser um conceito que varia, ele pode ser atingido de diferentes formas. Porém, ainda assim, é possível chegarmos a conclusões interessantes mediante a análise de outras informações disponibilizadas pelo BCG, na mesma pesquisa de empresas mais inovadoras do mundo em 2019.

A empresa de consultoria perguntou aos participantes quais das seguintes áreas de inovação e desenvolvimento de produtos terão o maior impacto às áreas de atuação de cada cliente pelos próximos 3 a 5 anos.

As respostas foram as seguintes, sendo a primeira referente a 2017 e a segunda a 2018, o que permite analisar a evolução ou regressão dos indicadores:

  • Plataformas de tecnologia: 41% / 41%
  • Novos produtos: 41% / 40%
  • Velocidade da adoção de novas tecnologias: 38% / 39%
  • Design digital: 31% / 35%
  • Big Data analytics: 39% / 34%
  • Mobile: 34% / 34%
  • Processos operacionais: 31% / 33%
  • Inteligência artificial: não há dados / 32%
  • Extensão de produtos existentes: 30% / 31%
  • Canais de consumidores: 30% / 30%
  • Extensão de serviços existentes: 28% / 28%
  • Modelo de negócios: 27% / 27%
  • Novos serviços: 29% / 26%
  • Marketing: 24% / 25%
  • Capacidades de suporte: 18% / 24%

Outros números interessantes mostram que por vezes se sabe o que é inovação nas empresas e até mesmo quais são seus objetivos, mas nem sempre se investe o necessário para tal.

Foi perguntado quais das seguintes áreas de inovação e desenvolvimento de produtos a empresa está efetivamente focando no momento, com as respostas na mesma ordem utilizada anteriormente:

  • Plataformas de tecnologia: 30% / 33%
  • Novos produtos: 35% / 35%
  • Velocidade da adoção de novas tecnologias: 30% / 32%
  • Design digital: 26% / 27%
  • Big Data analytics: 35% / 30%
  • Mobile: 28% / 30%
  • Processos operacionais: 29% / 29%
  • Inteligência artificial: não há dados / 29%
  • Extensão de produtos existentes: 28% / 27%
  • Canais de consumidores: 25% / 27%
  • Extensão de serviços existentes: 24% / 26%
  • Modelo de negócios: 22% / 25%
  • Novos serviços: 24% / 26%
  • Marketing: 22% / 22%
  • Capacidades de suporte: 17% / 23%

Curiosamente, a aplicação atual de esforços foi menor em todos as áreas citadas na comparação com o impacto que elas podem trazer às empresas, com exceção dos novos serviços, em que o impacto e a aplicação tiveram os mesmos números no ano de 2018.

Este é um indicativo de que muitas empresas sabem o que devem fazer em termos de inovação corporativa, mas que o foco em aplicar tal inovação não é tão grande quanto o interesse em vê-las em ação. É importante buscar igualar esses dois pontos, de modo que o desenvolvimento das empresas seja ainda mais acelerado.

Além disso, também é importante citar que as áreas citadas não contemplam tudo o que é inovação nas empresas, já que há vários outros pontos em que as companhias podem inovar para melhorar seus resultados.

Saiba mais: Como você pode começar a inovação corporativa na sua empresa: 7 dicas para iniciar agora

Por que a inovação corporativa deve ser colocada em prática a partir de agora em sua empresa?

Entenda a definição do termo e alguns modelos de negócio que se tornaram exponenciais

Acredite, motivos não faltam para tornar isso em realidade! Confira alguns dos principais:

 

  • Possível aumento de faturamento. Nós comentamos por aqui sobre como a reinvenção do negócio pode gerar muito mais faturamento, com casos de sucesso como IBM e Shell, que mudaram suas áreas de atuação e obtiveram resultados fantásticos, os quais perduram até hoje. Isso não significa que você tenha que mudar todo o funcionamento da empresa, mas algumas alterações, ainda que pontuais, podem trazer uma quantia bem maior ao final do mês.

 

 

  • Manutenção em um mercado concorrido. Quem sabe o que é inovação nas empresas entende que sua aplicação é tão importante que pode significar a continuidade das atividades de uma empresa no mercado ou uma queda massiva em seus resultados. Empresas gigantes morreram nos últimos anos por não inovar, algumas das quais eram líderes em seus segmentos e hoje possuem uma relevância exponencialmente menor a nível de mercado.

 

 

  • Estabelecimento de uma imagem inovadora. Os benefícios da inovação nas empresas não se resumem apenas ao quesito financeiro. Quando se opta por uma cultura inovadora, dá-se um recado para o mercado (e para os clientes) que aquela empresa está ligada às demandas da atualidade e visa oferecer o que há de melhor. Em termos de branding, esta é uma grande jogada.

 

 

  • Muitas empresas ainda não inovam. De acordo com a Pesquisa de Inovação (Pintec) 2014, cujos resultados foram divulgados em 2016, 36% das empresas brasileiras com 10 ou mais trabalhadores fizeram algum tipo de inovação em produtos ou processos, número um pouco maior que os 35,7% do triênio anterior, mas muito aquém da situação ideal. Isso, porém, pode ser um ponto positivo para quem investe em inovação nas empresas, pois já estará alguns passos à frente de vários outros negócios.

 

 

  • Modelos de gestão podem mudar com o passar do tempo. Quem realmente entende o que é inovação nas empresas percebe que ela pode ser aplicada também em termos de gestão. Nós já comentamos em outra ocasião sobre como os novos modelos de gestão empresarial podem impactar negócios do futuro, e se você sente que uma mudança a nível gerencial tem o potencial de trazer melhores resultados à companhia, a hora de mudar é agora.

 

Inovar ainda é facultativo, tendo em vista o grande número de empresas que ainda não o fazem. Porém, são grandes as chances de quem ficar parado agora se arrepender em um futuro próximo, vendo vários outros negócios se desenvolverem de maneira sólida no mercado.

Nosso mundo respira inovação, e é evidente que quem deseja se destacar precisa agir a partir de agora. Quanto menor for o número de concorrentes no quesito inovação (que já não é tão pequeno hoje, diga-se de passagem), mais fácil será atingir objetivos memoráveis.

Depois de entender o que é inovação nas empresas, invista em conhecimentos que podem ajudá-lo a se desenvolver, como o curso Sociedade e Cultura for Business, e coloque os conhecimentos em prática o quanto antes. Assim, você terá tomado uma decisão de que ficará muito orgulhoso em um futuro não tão distante.