New York Times aposta em novo jornalismo com a Alexa da Amazon

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de janeiro de 2019 às 12:13 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O The New York Times, um dos maiores jornais dos Estados Unidos, agora poderá ser ouvido através da Alexa, assistente pessoal da Amazon.

O veículo anunciou nesta sexta-feira (11) que fará conteúdos para serem reproduzidos pelos dispositivos que possuem a Alexa, como o Amazon Echo.

Durante a semana, Michael Barbaro, do “The Daily”, contará as principais notícias do dia. Para habilitar o serviço, os ouvintes precisam requisitá-lo para a Alexa. Depois de feito, para ouvir as notícias é necessário pedir apenas “Alexa, quais são as notícias?” ou “Alexa, qual é o meu Flash Briefing?”.

Nas sextas-feiras em específico, os leitores do NYT terão acesso a um teste sobre notícias também criado por produtores do The Daily. Eles serão convidados a responder perguntas e o teste trará réplicas de acordo com suas respostas.

Já aos domingos, leitores poderão ouvir mais notícias da edição do dia do The New York Times, trazendo mais detalhes do que foi veiculado pelo jornal.

Além disso, haverá espaço para iniciativas de editorias e temas específicos. Os usuários poderão pedir pela lista anual do NYT dos “52 lugares para ir”, ouvir notícias sobre música POP e ouvir recomendações de livros.

“Nós estamos apenas começando a explorar as maneiras que a tecnologia de voz pode trazer o jornalismo da Times passa a nossa audiência, onde e como quiserem”, disse Monica Drake, editora assistente do NYT, no anúncio.

A Alexa

Mais de 100 milhões de dispositivos com a assistente pessoal da Amazon já foram vendidos, de acordo com a empresa.

Hoje, ela está entrando nas rotinas de pessoas em todo o mundo, presente em suas casas, escritórios e, em breve, seus carros.

O Echo Auto, dispositivo projetado para permitir comandos de voz para o carro, já teve um milhão de unidades vendidas antes mesmo de seu lançamento oficial.

O novo mercado que está sendo criado devido à inteligência artificial da Amazon é comparável ao iPhone, que realizou o mesmo fenômeno há mais de 10 anos. Hoje, é possível encontrar a assistente inclusive em micro-ondas e relógios.