Com novos rivais, Netflix pode enfrentar seu pior trimestre desde 2012

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

25 de setembro de 2019 às 12:55 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O anúncio de novos serviços de streaming tem movimentado as ações de algumas empresas. A Disney, que lançará o Disney+ em novembro, teve um aumento de 14%. Em comparação, as ações da Netflix caíram 30% desde junho.

Nesta terça-feira (24), a queda foi de mais de 4%, quando dois analistas de Wall Street se mostraram preocupados com a companhia. Se continuar neste ritmo, a empresa pode atingir o seu pior trimestre desde 2012, de acordo com a Reuters.

O streaming da Disney será lançado no dia 12 de novembro e reunirá conteúdos das diversas marcas da empresa, como Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic. O valor será de US$ 6,99 por mês nos EUA. A empresa também terá mais de 25 séries, filmes e documentários originais lançados no primeiro ano. Um deles é um live action do clássico “A Dama e o Vagabundo”.

A Disney possui o streaming como prioridade em 2019 e não está chegando sozinha. A empresa criou um pacote de US$ 12,99 (o preço do pacote básico da Netflix nos EUA) que conta também com o Hulu e ESPN+, companhias que detém direitos.

Além da Disney, a Apple também está entrando no segmento de streaming. É difícil medir o impacto do novo negócio nas ações da empresa devido aos seus lançamentos recentes, como o iPhone 11, mas há uma grande expectativa para os filmes e séries originais da empresa. A série “The Morning Show”, por exemplo, conta com grandes estrelas de Hollywood, como Jennifer Anniston, Reese Witherspoon e Steve Carrell.

O preço do streaming da Apple também é convidativo em comparação ao da Netflix. A novidade chegará por R$ 9,90 no Brasil e US$ 4,99 nos Estados Unidos, no dia 1º de novembro. Quem comprar produtos determinados da companhia ganhará assinatura do Apple TV+ por um ano – algo que pode acelerar ainda mais a adoção do serviço e estimular o cancelamento de outros.