Governo vai incluir motoristas de aplicativos de transporte no INSS

João Ortega

Por João Ortega

6 de Maio de 2019 às 17:24 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O governo federal está preparando um decreto que inclui motoristas de aplicativos de transporte na contribuição do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A nova regra permitiria que os profissionais recebam aposentadoria por conta das contribuições obrigatórias no exercício do trabalho. A alíquota mínima da contribuição seria de 5% do salário mínimo.

O texto foi elaborado pela equipe econômica do governo e, segundo apuração da CBN, está sendo analisado pela Casa Civil. Motoristas de apps como Uber, 99 e Cabify poderiam se enquadrar como Micro Empreendedor Individual (MEI), o que acarretaria em impostos obrigatórios e benefícios como auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, licença-maternidade para mulheres e auxílio-reclusão.

Representantes dos aplicativos de transporte participaram das reuniões sobre o decreto. A ideia do governo é que as empresas contribuam para fiscalização dos motoristas, garantindo que estes estejam enquadrados nas novas regras.

Segundo o IBGE, mais de 200 mil novos motoristas de apps surgiram entre o primeiro trimestre do ano passado e deste ano. Em meio a um período de discussões sobre um “rombo” na previdência, os trabalhos informais criados por startups de economia compartilhada estão na mira do governo, que busca aumentar a arrecadação.