Microsoft tem nova presidente no Brasil

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

15 de janeiro de 2019 às 12:49 - Atualizado há 3 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Microsoft do Brasil iniciou o ano de 2019 com grandes mudanças em sua diretoria. Paula Bellizia, que comandou a operação da Microsoft no país por quase quatro anos, se tornou Vice-Presidente de Vendas, Marketing e Operações na América Latina.

Com a promoção de Bellizia, Tania Cosentino foi o nome escolhido para sua sucessão. Cosentino foi presidente da Schneider Electric na América do Sul durante seis anos, tendo permanecido na companhia por 19 anos.

“A nova jornada na Microsoft criará novas possibilidades, novas áreas de aprendizado e espaço para contribuir, especialmente com o suporte das pessoas apaixonadas entorno da missão da companhia: ‘empoderar todas as pessoas e organizações a conquistarem mais’”, escreveu Cosentino em seu LinkedIn.

A nova presidente da Microsoft no Brasil também afirmou que acredita fortemente que tecnologias inovadoras como inteligência artificial “irão ajudar a resolver grandes desafios do planeta: pobreza, desigualdade e as mudanças climáticas”.

Cesar Cernuda, presidente da Microsoft na América Latina, deu boas-vindas à Tania Cosentino e parabenizou Bellizia pelo novo cargo. “Paula tem sido uma de nossas maiores aliadas para alcançar a nossa missão de capacitação e, neste novo cargo, continuará a oferecer uma paixão excepcional pelo nosso trabalho”, escreveu em seu LinkedIn.

Paula Bellizia, Vice-Presidente de Vendas, Marketing e Operações na América Latina

Antes de entrar na Microsoft, Bellizia já havia trabalhado em outras gigantes da tecnologia. Ela foi Diretora de Vendas do Facebook na América Latina e também comandou a operação da Apple no Brasil por dois anos.