Kroton acelera transformação digital para voltar a crescer

José Eduardo Costa

Por José Eduardo Costa

24 de setembro de 2019 às 08:24 - Atualizado há 1 ano

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Kroton é hoje a maior empresa de educação do mundo. Fazem parte do grupo escolas de ensino básico e fundamental, cursinhos pré-vestibular, universidades e sistemas de ensino como Anglo, Sigma e Red Balloon. Seu lucro líquido no ano passado foi de R$ 1,94 bilhão e a rentabilidade ficou em 43%. O grupo possui valor de mercado de R$ 18 bilhões. São números que impressionam, mas, nos últimos dois anos, a empresa vem tendo dificuldades para crescer no ritmo acelerado que vinha mantendo desde a abertura de capital, em 2007.

Por isso, a Kroton acelerou o seu processo de transformação digital, cujos objetivos são o sucesso do aluno, melhorar a eficiência operacional e, claro, retomar o crescimento, que vem em queda desde 2017. O desempenho piorou devido a maior evasão de alunos, em parte relacionada aos cortes sucessivos no Fies, o programa de financiamento estudantil, e ao aumento nas despesas com material, pessoal e administrativas. Além disso, a estratégia de crescimento por aquisição deu sinais de esgotamento ao encontrar barreiras regulatórias.

A transformação digital da Kroton já começa a dar frutos relacionados à percepção do aluno sobre sua experiência de ensino. Internamente, os diversos departamentos trabalham de forma mais integrada e, segundo executivos do grupo, de forma mais ágil.  O sinal mais visível da transformação digital vem do programa de inovação aberta, que levou parte da empresa para o Cubo, espaço de empreendedorismo mantido pelo Itaú e pelo fundo Redpoint eVentures, em São Paulo.

Há, atualmente, 16 startups de educação trabalhando próximas à Kroton. Segundo executivos entrevistados pela StartSe, o objetivo da Kroton é se tornar o maior hub da América Latina de edtchs, como são chamadas as startups de educação.

De hoje até sexta-feira, serão publicadas reportagens que mostram a transformação digital da Kroton. Desde a compra da startup Studiare, de tecnologia em educação, por R$ 4,1 milhões, em 2015, à contratação de executivos, há pouco mais de ano, que estão transformando as áreas de tecnologia, inovação e diversas outras, com a implantação de métodos ágeis e da própria área de inovação aberta.

São exemplos da nova safra de executivos, recrutados para acelerar a inserção da Kroton no mundo digital, a diretora de inovação Gabriela Diuana (ex-Pearson) e o vice-presidente de Tecnologia e Transformação Digital, Carlos Safini (ex-Globo). Ambos contratados há pouco mais de um ano.

Por último, vamos mostrar o desafio de mudar a cultura de trabalho de seus 33 mil profissionais, que estão distribuídos em 150 campi, 15 mil salas de aula, 1.450 polos de ensino a distância. Acompanhe no site e nas redes sociais por meio da #krotondigital.