Jornalistas da Forbes poderão contar com inteligência artificial para escrever

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

4 de janeiro de 2019 às 17:24 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Forbes estaria testando uma aplicação de inteligência artificial para auxiliar seus jornalistas, segundo o Venture Beat.

A ferramenta auxiliaria os profissionais principalmente ao escreverem notícias sobre acontecimentos que seguem em curso.

Dessa forma, ao escrever o seguimento de uma história, o sistema traria tópicos semi automatizados baseados nas notícias anteriores dos próprios repórteres. A ferramenta atuaria como um “rascunho” a ser seguido.

A inteligência artificial também atuaria na escolha de imagens que ajudariam a matéria a ter mais impacto, além de sugerir contextos relevantes acerca do assunto retratado.

A expectativa é de que a novidade seja disponibilizada para todos os jornalistas da Forbes na América do Norte e Europa ainda no primeiro trimestre deste ano.

A Forbes não é o primeiro veículo jornalístico a contar com a inteligência artificial para acelerar processos. O The Washington Post – adquirido por Jeff Bezos -, The Associated Press e Los Angeles Times já realizaram experiências semelhantes, principalmente para facilitar insights.

O primeiro âncora robô

A inteligência artificial não está impactando apenas as redações jornalísticas. Em novembro do ano passado, a China apresentou, em vídeo, o primeiro âncora robô do mundo.

A novidade foi criada pela Xinhua, agência oficial de notícias do governo chinês, que agora conta com dois âncoras robôs dotados de inteligência artificial.

O veículo afirmou que os robôs “reduziram custos da produção de notícias, aumentando a eficiência”.