Google cria patente de livro inteligente cujas páginas são telas flexíveis

João Ortega

Por João Ortega

28 de junho de 2019 às 13:06 - Atualizado há 11 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O Google publicou no fim do ano passado uma patente, aprovada em abril, para um “livro inteligente”. O dispositivo foi imaginado com diversas “páginas”, que são telas finas e flexíveis, além de “capa e contracapa”, telas rígidas e mais grossas. Todas as camadas, claro, são sensíveis ao toque, como um smartphone ou tablet.

O documento publicado na World Intellectual Property Organization (WIPO) revela diversos detalhes sobre o equipamento. Entre eles, destaca-se a complexa malha de “dobradiças” que permite que o dispositivo seja dobrável e fique compacto mesmo com as diversas camadas.

As tecnologias detalhadas no “smartbook” se relacionam com a mais recente tendência de diversas fabricantes de celulares: smartphones dobráveis. O próprio Google já revelou um protótipo neste sentido, assim como a Apple. Já a Huawei e a Samsung já têm produtos prontos neste formato.

Vale ressaltar que o Google publica patentes diariamente e se tratam de conceitos que não necessariamente vão ser produzidos pela companhia da forma como foram imaginados. Além disso, pelo custo de um projeto como este, é possível especular que ele não seria um mero substituto de dispositivos de leitura como um Kindle, mas um hardware multimídia com amplas possibilidades.