Google e Netflix lançam nova ferramenta de análise de código aberto

Avatar

Por Isabella Câmara

10 de abril de 2018 às 17:19 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Google e a Netflix anunciaram hoje (10) o lançamento da Kayenta, um novo projeto de código aberto que utiliza ferramentas de análise canária – ou seja, notificações sobre mudanças em linhas de programação. A Kayenta é integrada à plataforma Spinnaker, utilizada pela Netflix para a entrega contínua de conteúdo de desenvolvimento em nuvens públicas e privadas.

A ideia geral por trás da análise canária é simples. A análise canária é um sistema de alerta antecipado que evita possíveis problemas quando ocorre uma atualização em um serviço ou infraestrutura. À medida que você distribui uma atualização para um subconjunto de novos usuários (ou servidores e partes de sua rede), o serviço de análise canária verifica se o novo sistema se comporta como deveria – ou pelo menos tão bem quanto o antigo. Em cada etapa, o sistema executa suas verificações e garante não haja uma atualização que crie problemas quando lançada em um sistema mais complexo.

Segundo Andrew Phillips, Gerente de Produto da Google, muitos desenvolvedores já fazem isso. Geralmente, de acordo com ele, esse processo é um pouco mais informal. As equipes criam seus aplicativos, implantam em alguns servidores e, em seguida, verificam os painéis a procura de problemas óbvios. Porém, essa metodologia traz a possibilidade de erro humano e gera uma interpretação enviesada. Um sistema de análise canária, por outro lado, pode avaliar as métricas e então tomar uma decisão objetiva sobre o determinado código.

Com a Kayenta, a equipe da Netflix quer abrir o seu próprio sistema para levar o serviço para uma comunidade mais ampla. Para fazer isso, a Netflix e a Google agora trabalharam para reescrever partes da Kayenta que antes eram específicas do serviço de streaming – onde o conjunto crescia de forma orgânica.

Porém, isso não significa necessariamente um bom código. Devido a isso, a Google e a Netflix passaram um tempo considerável limpando o código e tornando-o mais modular. De acordo com o Diretor de Engenharia de Entrega da Netflix, Andy Glover, as equipes gastaram cerca de um ano para preparar o código para o lançamento de hoje. O plano, segundo Glover, é desenvolver tanto a Kayenta quanto a Spinnaker. “A boa vontade da Netflix e da Google atraiu uma certa multidão de desenvolvedores que abraçaram a Spinnaker”, conta Andy. Com o sucesso das versões gratuitas, é possível que em breve sejam lançadas versões comerciais, com soluções mais avançadas.

(Via: TechCrunch)