Google quer oferecer o Google Assistant às pessoas com problemas na fala

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

7 de Maio de 2019 às 16:58 - Atualizado há 2 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Entre os dias 7 e 9 de maio, acontece em Mountain View, na Califórnia, a Google I/O, conferência anual do Google para desenvolvedores. No primeiro dia de evento, a empresa apresentou um de seus mais novos projetos voltados para o Google Assistant: o Euphonia. A iniciativa tem como objetivo permitir que o reconhecimento de voz compreenda pessoas com problemas de fala.

As limitações na fala podem ser causadas, por exemplo, por paralisias cerebrais, autismo, acidente vascular cerebral, surdez, Esclerose lateral amiotrófica (ELA) ou Esclerose Múltipla (EM). Com o projeto, o Google espera atender essas pessoas, garantindo o uso do Google Assistant para diversas tarefas. 

Para isso, a empresa realizou parcerias com as organizações ALS Therapy Development Institute e ALS Residence Initiative para registrar vozes de pessoas com Esclerose lateral amiotrófica. A partir dessas falas, a equipe do Euphonia está treinando algoritmos baseados em IA para reconhecer os discursos e até mesmo detectar sons ou gestos. 

Segundo o Google, quanto mais amostras de voz o sistema ouve, maior o potencial da tecnologia evoluir. Pensando nisso, a companhia disponibilizou um formulário para que pessoas com dificuldades na fala se identifiquem e enviem seus próprios áudios para ajudar a ferramenta.

Além do reconhecimento de fala, o Google também anunciou que está trabalhando no projeto Diva, com um botão que se conecta por meio de Bluetooth ao Google Assistant para que os usuários com mobilidade reduzida enviem comandos simples.