Essa tecnologia vai mudar completamente a humanidade já nos próximos anos

Da Redação

Por Da Redação

5 de Maio de 2018 às 17:46 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Qual a tecnologia que vai transformar completamente a humanidade nos próximos anos? Acertou quem pensou em inteligência artificial, capaz de mudar todos os segmentos da economia mundial e aumentar produtividade e riqueza de todas as nações.

Hoje, é comum dizer que dados são o novo petróleo justamente por seu potencial transformador na humanidade através de ensinar máquinas a operar de maneira autônoma. “Machine learning é sobre dados. Eu não posso enfatizar isso o suficiente”, destacou Steven Choi, responsável por machine learning do Uber – antes funcionário do Google X.

A quantidade de dados gerados é o combustível que pode fazer a inteligência artificial cada vez mais útil. “A razão dos dados são tão importantes é para ensinar máquinas a realizarem habilidades baseado no que já aconteceu antes”, afirma, citando seu trabalho atual, com carros autônomos no Uber.

A quantidade de dados é uma forma de ensinar as máquinas a tomarem julgamentos que antes eram exclusividade de humanos – sendo capazes de operarem sozinhos em futuro próximo. “Se um carro avaliar o que acontece baseado no que já aconteceu, ele toma a decisão correta”, destaca.

Autonomia para carros vai permitir que os custos de “dividir” automóveis, através de aplicativos de economia compartilhada como o próximo Uber. “Os carros autônomos vão tirar os incentivos das pessoas de terem carros”, completa.

Não significa que os motoristas morrerão para muitos casos – como na indústria da logística, que pode adotar a solução primeiro para as estradas. “Já os caminhões autônomos vão ser adotados pelas empresas de logísticas e entregas, que vão poder retirar a maior parte de seus motoristas das estradas e mantê-los somente nas cidades”, salienta.

Os responsáveis pelos carros podem ser mais produtivos e trabalhar com mais. “No futuro, uma pessoa poderá controlar 100 automóveis ao mesmo tempo. E ele só vai precisar assumir os carros se eles estiverem fazendo algo que eles nunca fizeram antes ou requerem algum input manual. E essa pessoa vai poder fazer de onde ele quiser, seja NY ou SP”, diz.

Os exemplos do que pode mudar com inteligência artificial vai longe: uma mudança “simples” como carros autônomos pode impactar dezenas de setores. “Quando os carros estiverem 100% autônomos, você não vai precisar mais de vagas para carros. E isso vai mudar muita coisa! Imagine o mercado imobiliário, que vão ter muitos lotes disponíveis?”, destaca.

Mas Choi destaca um grande problema com: humanos continuam sendo imprevisíveis e fica difícil ensinar máquinas a lidar com eles. “O nosso maior problema com machine learning é como fazer as máquinas interagirem com humanos, pois pessoas raramente seguem as regras”, termina.