Em alta: Uber Pay, Alexa no Brasil e incubadora do Softbank na América Latina

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

4 de outubro de 2019 às 19:07 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Confira as notícias mais relevantes sobre startups, tecnologia, nova economia e empreendedorismo – e comece a semana bem informado.

Uber irá lançar sua plataforma de pagamentos no Brasil

O Uber Works não é a única novidade da Uber. No final de outubro, a empresa lançará no Brasil a Uber Pay, sua plataforma de pagamentos. Com foco em desbancarizados, o objetivo é que os usuários possam realizar o pagamento de diversos serviços pelo celular. A novidade também será lançada em outros países, como nos Estados Unidos. Saiba todos os detalhes.

Alexa, da Amazon, chega ao Brasil – e falando português

A assistente virtual da Amazon, a Alexa, começou a ser oficialmente vendida no Brasil – e a falar português. A Amazon é a primeira a trazer o dispositivo que suporta a sua assistente de voz para o país, em comparação à Apple e Google. Pelo dispositivo, será possível pedir, através de comandos de voz, transporte por aplicativo, controle de agenda, previsão do tempo, ouvir música, entre outros.

Softbank anuncia a criação de uma incubadora na América Latina

O Softbank está, mais do que nunca, com os olhos voltados para a América Latina. Após criar um fundo de investimentos voltado para a região, agora o grupo japonês anunciou a criação de uma incubadora para desenvolver negócios. E mais: o Softbank ainda planeja trazer ao menos 50 das empresas em que investiu para começar a operar no continente.

WhatsApp está testando mensagens que se autodestroem

O WhatsApp está testando um recurso semelhante ao Snapchat – o de fazer as mensagens se autodestruírem e sumirem dos celulares dos envolvidos em um tempo determinado. Ainda não há informações de quando a novidade será lançada, pois os testes estão em fase inicial. Diferente do “Apagar para todos”, a expectativa é que as mensagens sejam apagadas sem deixar rastros.

IBM terá centro de pesquisa em inteligência artificial na USP

A Universidade de São Paulo receberá um centro de inteligência artificial da IBM na Cidade Universitária. A iniciativa será coordenada por Fabio Cozman, da Escola Politécnica. Estão previstos estudos sobre as implicações socioeconômicas da inteligência artificial na sociedade, como questões éticas, privacidade e trabalho. A expectativa é que as pesquisas comecem no início de 2020.

Carrefour Brasil compra participação na fintech Ewally

O Carrefour Brasil adquiriu 49% da fintech de pagamentos Ewally. O objetivo da varejista é de expandir seu ecossistema de pagamentos e a distribuição digital de produtos e serviços no Brasil. A startup oferece cartão pré-pago e contas digitais aos clientes.

Fast Shop compra participação na Zissou, a “startup do sono”

E o Carrefour não foi o único varejista a comprar participação em startups. A Fast Shop adquiriu uma parte – a porcentagem não foi revelada – da Zissou, uma startup especializada em sono. A empresa vende colchão em caixa e agora os produtos de seu portfólio estarão disponíveis nas 100 lojas da Fast Shop espalhadas pelo Brasil.

O impacto das DNVBs no varejo

DNVB: marca vertical nativa digital (tradução de Digitally Native Vertical Brand). Um termo cunhado para descrever uma nova tendência do varejo – startups que estão acabando com intermediários, focando no produto e na experiência do cliente do começo ao fim da cadeia de valor. Elas nasceram no meio digital e usam os dados como seus aliados, aproveitando-se também do varejo físico para criar uma relação próxima com seu público. Neste episódio do podcast MVP a repórter Tainá Freitas e o editor-chefe da Redação da StartSe, José Eduardo Costa, entrevistam Amit Eisler, cofundador da Zissou, uma DNVB brasileira especializada em sono — e que, como modelo de negócios, vende colchões que cabem em uma caixa. Ouça no Spotify, Apple Podcasts, Deezer e Google Podcasts.

Mark Zuckerberg revela estratégia para competir com TikTok

O Facebook possui um aplicativo concorrente ao chinês TikTok: o Lasso. No entanto, o TikTok é o líder no setor de vídeos curtos. Para mudar esse cenário, Zuckerberg revelou, em áudio vazado de uma reunião, que planeja que o Lasso ganhe nos mercados ainda não dominados, como o México. Veja a estratégia de Zuckerberg.

Startup que auxilia pais que trabalham levanta R$ 7 milhões antes de lançamento

As empreendedoras Flavia Deutsch e Paula Crespi estão criando a Theia, startup que conecta pais que trabalham com profissionais de saúde física e mental. O objetivo é de facilitar o acesso a esses profissionais, trazendo mais praticidade para a rotina de cuidado com filhos. A empresa levantou R$ 7 milhões antes mesmo do lançamento, previsto para o início de 2020.

Brex cria conta corporativa gratuita para startups – e deseja substituir bancos

A Brex, uma startup criada por dois jovens brasileiros no Vale do Silício, lançou uma conta digital gratuita em que startups ganham benefícios por cada transação realizada. Com a iniciativa, a empresa planeja substituir os bancos. A fintech entrou no mercado oferecendo um cartão corporativo que facilita a aquisição de crédito por pequenas empresas.

Conheça as 5 fases do investimento chinês no Brasil

Nos últimos dez anos, chineses investiram quase US$ 60 bilhões no Brasil. No início, o interesse era em commodities, agora, o que atrai a atenção da China são as startups brasileiras, como a 99 e Nubank. Veja as cinco fases deste processo.