Elon Musk revela que fábrica da Tesla sofreu “extensa e danosa sabotagem”

Segundo Musk, um empregado que não tinha sido promovido fez mudanças no sistema de produção e divulgou informações sigilosas

Avatar

Por Isabella Câmara

19 de junho de 2018 às 12:46 - Atualizado há 2 anos

O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, afirmou em um comunicado aos colaboradores da montadora que um funcionário não identificado da companhia promoveu uma “extensa e danosa sabotagem” ao promover alterações no código de programação do sistema de produção e enviar dados sigiloso para terceiros.

Na mensagem obtida pela Reuters, Musk afirmou que tomou conhecimento sobre a sabotagem no último fim de semana. “A extensão completa de suas ações ainda não é clara, mas o que ele admitiu ter feito até agora é muito ruim”, escreveu o executivo. “Sua motivação declarada é que ele queria uma promoção que ele não recebeu”, afirmou o presidente-executivo sem especificar a quem ele estava se referindo.

De acordo com Musk, a empresa investigará a sabotagem durante todo a próxima semana para determinar se a pessoa estava agindo sozinha ou em conjunto com “qualquer organização externa”. “Como vocês sabem, há uma longa lista de organizações que querem que a Tesla morra”, escreveu Musk. Entre elas, segundo o executivo, estão pessoas influentes de Wall Street, empresas de petróleo e gás e rivais de empresas automobilísticas. Apesar das acusações, Elon Musk não citou o nome de nehuma empresa.

Mais cedo, na segunda-feira, Musk enviou um outro e-mail para seus funcionários, dessa vez informando sobre um “pequeno incêndio” em uma instalação da empresa. No e-mail, Elon Musk afirmou que houve, na noite de domingo, um incêndio em um filtro de ar na área de soldagem da linha de produção.

Apesar do incidente, nenhuma pessoa ficou ferida e nenhum dano significativo no equipamento foi relatado. Além disso, Musk disse que, embora o incêndio possa ter sido um evento aleatório, é importante que os funcionários fiquem alertas para qualquer coisa que não seja do interesse da empresa.

Na semana passada, o presidente-executivo da Tesla anunciou a demissão de 9% da fora de trabalho da empresa, sem especificar um número exato. Segundo ele, essa reorganização não afetará os empregados da linha de montagem, nem as metas de fabricação do Model 3, o modelo mais popular da marca, e a rentabilidade da Tesla.

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store


(Via: Reuters)