EDP Ventures Brasil investe R$1,5 milhão em startup de energia elétrica

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

8 de fevereiro de 2019 às 12:21 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A EDP Ventures Brasil, braço de investimentos do Grupo EDP, realizou o seu primeiro aporte em uma startup do mercado elétrico. Com R$1,5 milhão de investimento, a startup cearense Delfos poderá aprimorar sua solução de inteligência artificial. Os empreendedores Guilherme Studart e  Samuel Lima criaram um modelo de cruzamento de dados capaz de antecipar o desgaste dos componentes e recomendar a manutenção preventiva dos equipamentos.

A relação da Delfos com a EDP começou em 2016, quando a startup ganhou o prêmio EDP Open Innovation. Depois, em 2018, ela fez um piloto com a EDP Renováveis em um complexo eólico na Bélgica. “Decidimos investir da Delfos porque além de trazer melhorias para as empresas eólicas, eles estão trazendo eficiência para energia hidroelétrica. O mundo hoje está se voltando para manutenção preditiva”, afirma Rosario Cannata, Investment Manager da EDP Ventures.

O BMG Uptech e a Bossa Nova Investimentos também fizeram parte do aporte. Os investidores terão uma participação minoritária na startup. Além do investimento, a Delfos também receberá apoio para realizar projetos-piloto, acesso à áreas do negócio e aos parceiros do Grupo EDP.

Contato com as startups

Desde 2015, a EDP possui iniciativas de inovação no Brasil, como os programas de aceleração EDP Starter Brasil e o Free Electrons. Em 2018, como parte da estratégia global do grupo, a EDP Ventures Brasil foi criada. Atualmente, a companhia trabalha com algumas verticais de investimentos: energia renovável, redes inteligentes, armazenamento de energia, inovação digital, soluções com foco no cliente e área de suporte.

Por isso, startups que não se relacionam diretamente com o setor de energia, mas que oferecem soluções de blockchain, IoT, Big Data e outras tecnologias, podem inscrever seus projetos. “Com foco no cliente, por exemplo, temos as fintechs. Hoje, atendemos 3,5 milhões de pessoas só no Brasil, e procuramos soluções que possam ajudá-las”, explica Cannata.

Segundo Cassio Vidigal, head da empresa de Venture Capital da EDP, além do retorno financeiro, a companhia busca se tornar mais próxima das startups. “Ao fazer um investimento, trazemos possibilidades de novos negócios para a startup e ela oferece valor para diversas áreas da EDP. Todos ganham”, afirma. De acordo com o executivo, o foco é ajudar as startups a crescer, e não incorporá-las na companhia.

Próximos passos

Com uma operação de venture capital em Portugal há mais de 10 anos, o Grupo EDP já investiu mais de 30 milhões de euros em 22 startups. No Brasil, o investimento na Delfos foi o primeiro. Para 2019, a companhia planeja se aproximar ainda mais das startups e realizar novos aportes, tanto naquelas que estão em fase inicial quanto nas mais maduras, com escala e tração no mercado.

“Já temos um segundo investimento em andamento e em paralelo a isso estamos em contato com outras startups, que vem tanto dos nossos programas de inovação quanto do ecossistema”, explica Vidigal. As inscrições de projetos podem ser feitas pelo site global da EDP Ventures.