Correios querem se modernizar para concorrer com Uber, Rappi e Loggi

João Ortega

Por João Ortega

27 de março de 2019 às 17:59 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os Correios estão perdendo uma fatia importante do mercado para startups de entregas de alimentos, produtos diversos e logística. Fontes da empresa estatal revelaram à Folha de S. Paulo que ela pretende modernizar seu serviço de entregas para concorrer com Uber, Rappi, Loggi e semelhantes.

O projeto é mantido em sigilo pelos Correios e, portanto, diversas informações ainda não foram reveladas. O que foi exposto pela Folha é que a estatal vai realizar uma parceria com uma startup do setor, para criar um serviço compartilhado, ou com outra empresa do setor de tecnologia para criar uma plataforma própria.

A empresa também não deve terceirizar os novos serviços, nem contratar, em um primeiro momento, mais colaboradores. A ideia é criar um modelo híbrido e unir a simplificação das entregas feitas por apps de startups com a estrutura e capilaridade dos Correios.

O momento, agora, é de realizar estudos técnicos e de viabilidade econômica do projeto. Depois, projetos-pilotos devem ser lançados em algumas cidades.

Entregas na Nova Economia

Desde 2012, as entregas feitas pelos Correios caíram 36%: de 8,9 bilhões para 5,7 bilhões no ano passado. Para enviar uma encomenda, a pessoa precisa ir a um ponto de atendimento para fazer a postagem, com um formulário analógico. O produto passa por uma cadeia de logística até chegar ao carteiro e, só então, ao usuário final. Quando se trata de entregas dentro de uma mesma cidade, portanto, startups de logística fazem em poucos minutos o que os Correios fazem em 24 horas.

O novo serviço não vai entrar no mercado de entregas de comida e, possivelmente, terá postos automatizados para coletas de encomendas. Ele não substituirá os outros serviços dos Correios, e sim aumentará o portfólio da empresa estatal. Como algumas etapas da logística serão eliminadas, a previsão é de reduzir custos.