Os prós e contras da conexão entre corporações e startups

Avatar

Por Maximiliano Carlomagno

9 de novembro de 2017 às 11:00 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 16 a 19/Nov, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

No post anterior sobre CCS (Conexão Corporações e Startups), discutimos os mitos e verdades dessa relação entre corporações e startups. Diferenciamos  a abordagem de gestão tradicional e a empreendedora bem como seus contextos de aplicação. Desmistificamos a ideia de que a grande empresa deve virar uma startup, ainda que precise dominar a abordagem empreendedora. Também evidenciamos que a startup vai precisar, em determinado momento, da abordagem tradicional.

Esse entendimento é fundamental para contornar as barreiras e potencializar os benefícios da colaboração entre startups e grandes empresas. Mas quais as principais diferenças entre as corporações e as startups? O que cada parte possui? Quais suas principais necessidades? Quais os benefícios e as barreiras para essa conexão eficaz? Essas são as perguntas que vamos responder nesse post.

Quem é quem

A grande empresa é, segundo nossa própria definição, uma “Organização desenhada para operar eficiente e lucrativamente um modelo de negócios existente’’. Tende a ser, predominantemente, um contexto mais propício a abordagem tradicional de gestão. O que a corporação tem de recursos valiosos e de que necessita?

O que tem O que precisa
Recursos financeiros

Recursos

Marca

Canais

Conhecimento

Relacionamentos

Experiência de gestão de negócios maduros

Novas ideias

Novos mercados

Novos produtos

Novas tecnologias

Mentalidade empreendedora

Ferramentas e técnicas adequadas a alta incerteza

Fonte: Innoscience

Por outro lado, o que são as startups? São, também segundo nossa definição, organizações em determinado momento de seu ciclo de vida no qual buscam, sob condições de extrema incerteza, desenvolver e escalar um produto, serviço e modelo de negócio. A startup não é um tipo de empresa mas um momento na vida da empresa.

Seu desenvolvimento ocorre a partir de uma ideia, MVP (produto minimamente viável), prova de conceito, experimentação e crescimento. O que as startups tem pra colocar na mesa de colaboração com as grandes empresas? Do que necessitam?

O que tem O que precisa
Novas ideias

Novos mercados

Novos clientes

Novas tecnologias

Equipe dedicada

Ousadia para questionar ortodoxias

Inexistência de legado

Velocidade para mudar de caminho

Flexibilidade

Aprofundar entendimento

sobre o problema do cliente

Testar a viabilidade da ideia

Base de clientes

Conhecimento de mercado

Escalar o negócio

Distribuição

Capacidade de execução

Relacionamentos

Fonte: Innoscience

O tema ainda é novo mas já existem pesquisas que indicam quais são os benefícios e barreiras na visão das startups e quais são os prós e contras na visão das grandes empresas. Vejamos primeiro os aspectos centrais na visão das startups.

Benefícios Barreiras
Visibilidade

Acesso a novos mercados

Conhecimento de mercado

Velocidade

Coordenação

Cultura

Fonte: Nesta/Accenture

Por outro lado, especialmente nos programas de aceleração corporativa, as startups tem enfrentado desafios de tempo de resposta das grandes empresas, diversos stakeholders com os quais tem que interagir e uma cultura de tomada de decisão avessa ao risco. No programa que lideramos com a Banricoop, instituição financeira cooperativa pioneira no Brasil, estabelecemos uma governança estruturada com a direção, gerência e profissionais da corporação para garantir baixo tempo de resposta e facilidade de interação para as partes.

Se você está gostando desse tipo de conteúdo, confira também: a Nova Economia está revolucionando a cultura de gestão corporativa. A tecnologia tem desafiado modelos de negócios estabelecidos. As boas práticas de gestão e governança são importantes, mas não aceleram mudanças disruptivas. Existe um novo ecossistema de inovação que quer tomar o mercado dos incumbentes. Como juntar forças e se beneficiar dessa conexão, visando tanto a inovação radical, quanto a inovação incremental?  Não perca a oportunidade de conhecer o evento que a StartSe está promovendo sobre inovação corporativa via startups.

Ok, e quais os prós e contras dessa colaboração para as startups? Recentemente fizemos um screening de startups para um cliente do setor de cosméticos. Foi muito interessante validar alguns dos prós dessa conexão como as novas perspectivas que as startups trazem para resolver problemas de negócios e a oxigenação que geram na corporação. Chatbot, VR, BigData não são temas do dia a dia de diretores de Unidades de Negócios, mesmo de corporações líderes.

Prós Contra
Novas tecnologias, produtos ou serviços

Entrada em novos mercados

Oxigenação de marcas

Novas perspectivas para resolver problemas existentes

Crescimento de market share

Oxigenação da cultura da organização

Fortalecimento da posição de liderança no setor

Agilidade

Introduz novas formas de risco

Rupturas em times e processos existentes

Alto índice de falha que pode contaminar operação existente

Alto investimento e baixo retorno  no curto prazo

Riscos de imagem

 

Fonte: Nesta/Accenture

Naturalmente que também existem riscos que devem ser gerenciados.

Compreender a diferença entre grandes empresas e startups, o que cada uma tem a oferecer e as barreiras e benefícios de parte a parte é fundamental para desenhar o seu modelo de conexão.

Há diferentes formatos de conectar corporações e startups para inovar mais e melhor. O ponto central é: qual o modelo mais adequado para a sua empresa?

Pegar o case da Tecnisa, Bradesco, Itaú, Braskem ou Porto Seguro e replicar na sua empresa seria como aquele médico que se apaixona pelo remédio sem saber qual a doença. Esqueça isso. Não faz nenhum sentido.

A experiência atendendo as 13 das 100 empresas mais inovadoras do Brasil somada a nossa vivência com startups em parques tecnológicos, aceleradoras e incubadoras nos permitiu montar e validar um método simples e muito eficaz.

Agora você já sabe do que são feitas grandes empresas e startups. Também conhece as barreiras e benefícios dessa conexão. O próximo passo é ter um roadmap de como fazer essa conexão ser eficaz para sua empresa ou startup.

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]