Nokia compra startup para colocar I.A em setor de US$ 14 trilhões

Da Redação

Por Da Redação

7 de Maio de 2018 às 10:05 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Nokia está ressurgindo. A companhia está se esforçando para entrar e fortalecer-se em um segmento que ela acredita ser transformador nos próximos anos: internet das coisas, que tem potencial para gerar US$ 14 trilhões nos próximos anos. Para tal, a companhia acaba de comprar a startup SpaceTime Insight (em um negócio estimado em cerca de US$ 100 milhões).

A startup criava aplicações de machine learning para aparelhos conectados na internet, melhorando os seus funcionamentos. Seu antigo CEO, Rob Schilling, vai se tornar o head de IoT da própria Nokia. A companhia tem muitas expectativas a respeito deste segmento, que pode crescer muito ainda.

A empresa reportou receitas de 23 bilhões no ano passado, mas a divisão que comporta IoT trouxe apenas 1,6 bilhão – ou seja, ainda é irrelevante para os resultados da companhia, hoje muito ligados aos equipamentos para redes, internet e telefonia.

Além disso, hoje a Nokia está quase que completamente voltada para segmento corporativo, e o IoT pode ser uma oportunidade de voltar a venda para consumidores finais. Contudo, os clientes atuais da empresa comprada são empresas, como a FedEx.

“Todos os aparelhos eventualmente vão estar conectados, IoT é estratégico para a gente, estamos movendo nesta direção”, destacou o CEO da Nokia, Bhaskar Gorti. É uma oportunidade para melhorar também os seus aparelhos para redes, que ela ainda vende para empresas gigantescas da área como Verizon e AT&T.

As aplicações são imensas e podem transformar o seu dia-a-dia em breve: imagine uma geladeira que é capaz de ver quais itens faltam e conectar na internet para compra-los? Tecnologias como a internet das coisas estão cada vez mais comuns no nosso cotidiano. Quer saber mais sobre o futuro dessas tecnologias na Nova Economia? Leia nosso e-book gratuito.