A mudança no setor energético está chegando – e você pode participar

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

19 de abril de 2018 às 19:00 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O conceito de “energia renovável” está sendo discutido em todo o mundo há muitos anos. Um dos motivos (e talvez o mais aparente) é simples: os carros movidos à combustíveis fósseis estão sendo substituídos por carros movidos à energia elétrica. Empresas automobilísticas se empenharam para criar carros elétricos tão potentes quanto os “tradicionais”, e o objetivo foi atingido – agora, é questão de tempo para a mudança começar a acontecer.

É questão de tempo literalmente falando: a Noruega, Reino Unido, França, China e Índia já possuem datas para proibirem a venda de carros movidos à combustão. Para o Reino Unido e França, a data limite é 2040. Já na China e Índia, a expectativa é que a proibição aconteça até 2030. Dos países, a Noruega é quem está encarando o assunto com maior urgência, pretendendo proibir a venda destes veículos até 2025.

Justamente por esse motivo, as empresas automobilísticas estão apostando nos carros elétricos, desenvolvendo novas tecnologias no setor. É o caso da Tesla, por exemplo, que além de carros elétricos, produz painéis solares. Os painéis solares possibilitam a transformação da energia solar – que irradia todos os dias nos telhados das casas – em energia elétrica. No caso, a empresa comandada pelo Elon Musk, além de vender carros, também começará a vender os painéis solares.

Os valores, sejam da Tesla ou de outras empresas, ainda não são amigáveis, mas a tendência é que esta tecnologia (e outras energias renováveis) se tornem cada vez mais acessíveis. A própria Tesla assinou um acordo com o governo da Austrália para instalar os painéis solares e baterias em 50 mil lares, que irão gerar energia elétrica para a rede da Austrália do Sul – e a intenção é de dobrar o número de casas nos próximos 4 anos.

Seja a partir do protagonismo que a energia está tendo com empresas, seja através das mudanças nas leis de países, uma coisa é certa: está surgindo uma revolução no uso de energia. Com isso, algumas perguntas surgem: como diminuir o impacto negativo no planeta? A resposta para esta pergunta já temos – usando energias renováveis. Mas não seria ainda melhor que, além de utilizarmos energias renováveis, tivéssemos uma boa eficiência energética?

Este é um objetivo que a Safira Energia quer alcançar – e está apostando na integração com startups para encontrar soluções para este setor. Por esse motivo, a consultoria está realizando o Programa Safira Inovação, um programa de investimentos em startups.

A empresa de comercialização e consultoria de energia está buscando soluções e startups de qualquer setor que possam contribuir no mercado de energia podem participar. As startups que participarem do programa terão a chance de gerar receita ao virar parceiro da companhia, poderão testar e validar suas soluções em uma empresa relevante e terão contato e aprendizado direto com diretores, gerentes e especialistas da Safira Energia.

As inscrições para o programa de investimento em startups terminam no dia 23 de abril. Depois, startups serão selecionadas para participarem do Pitch Day, no qual a empresa escolherá as startups que serão aprovadas e receberão aporte em troca de equity. Saiba mais sobre o Programa Safira Inovação e inscreva-se aqui.

[php snippet=5]