A maior operação de 2017: US$ 69 bilhões para se proteger da Amazon

Da Redação

Por Da Redação

4 de dezembro de 2017 às 07:14 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A rede de farmácias americana CVS está comprando a gigante Aetna, confirmaram as duas companhias no domingo – uma operação de US$ 69 bilhões. Essa é a maior operação financeira de 2017, com a empresa se preparando para lutar contra um inimigo muito complicado no ramo de vendas: a Amazon.

Trata-se de preparar a rede de farmácias para uma potencial briga muito forte com a gigante de Jeff Bezos. A Aetna é a terceira maior seguradora de saúde dos Estados Unidos e a aquisição fará a CVS verticalizar praticamente todo o processo de compra e venda de remédios no país, permitindo ter preços mais competitivos que desembocarão ou em margens melhores ou em capacidade de briga contra a Amazon.

“Essa é a uma evolução natural para a companhia, conforme elas tentam colocador o consumidor no centro”, afirmaram ambas as companhias em um release para a imprensa. É interessante a escolha de palavras, pois “colocar o consumidor no centro” é uma missão conhecida da Amazon, notória por entrar em setores e acabar com a competição com pequenos preços, delivery rápido e uma infinidade de benefícios para seus clientes leais.

Tudo isso trata-se de uma revolução no departamento do varejo, encabeçada pela própria Amazon e seguida por gigantes como Walmart, Pão de Açúcar e Carrefour. Dos grandes aos pequenos lojistas, a tecnologia ficou cada vez mais importante para captar e conseguir aumentar os ganhos com os consumidores. Trataremos dessa revolução no Retailtech Conference.