Itaú inaugura nova sede do Cubo e comemora 3 anos do espaço

A infraestrutura em São Paulo já conta com 65 startups instaladas e agora é divida por verticais de saúde, finanças, educação, varejo e indústria

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

16 de agosto de 2018 às 12:29 - Atualizado há 2 anos

Cubo

Na tarde de ontem (15), o Itaú inaugurou o novo Cubo em seu evento Cubo Conecta. O hub, que comemorou três anos, ganhou um espaço com 14 andares e uma área total de mais de 20 mil m² na região da Vila Olímpia, em São Paulo. Agora, o local passa a receber mais de duas mil pessoas diariamente.

Fundado em setembro de 2015 pelo Itaú e pela Redpoint eventures, o espaço propõe o networking e desenvolvimento das startups residentes. Atualmente, 65 delas já se distribuem no novo endereço. “O Brasil tem um grande potencial em termos de tecnologia e empreendedorismo. É isso o que queremos incentivar”, ressaltou Ricardo Guerra, diretor-executivo do Itaú Unibanco, durante a inauguração.

Uma das novidades do novo Cubo é a criação de cinco verticais de mercado que definem as startups que passam a circular no espaço: Cubo Health, que estará no 12º e 11º andar, Cubo Fintech, que estará no 10º e 9º, Cubo Education, no 8º e 7º andar, Cubo Retail, no 6º e 5º e Cubo Industry, no 4º e 3º andar.

“As cinco verticais representam novos desafios que, como toda startup, são encarados como testes feitos ao lado de empresas mantenedoras consolidadas nessas áreas, que serão grandes parceiras”, explicou Lineu Andrade, diretor do Itaú Unibanco, responsável pelo Cubo Itaú.

Infraestrutura

O novo edifício é composto por cinco pisos duplos e uma “laje”, como passa a ser chamado o rooftop. Cada piso é identificado por cores e contém áreas de trabalho interligadas a um mezanino e um espaço que abriga as startups daquele setor. As áreas de trabalho foram planejadas em conjunto com o WeWork.

Além disso, o novo espaço também conta com um local de eventos e um auditório com capacidade total para 380 pessoas, que pode ser dividido para suportar duas atividades ao mesmo tempo. Já no piso térreo há um café aberto ao público.

A expectativa é que o novo prédio tenha mais de 200 startups residentes. A antiga sede do Cubo terá seus andares ocupados por uma startup que já foi residente do espaço. Flavio Pripas, diretor do Cubo Itaú, considera que o espaço anterior funcionou como uma espécie de MVP do projeto que se expandiu neste ano.

Aprendizado e painéis

Ao ser questionado sobre o que mudou no Itaú com a chegada do Cubo em 2015, Guerra afirmou que a cultura foi uma das mais significativas transformações. “O mundo tem evoluído muito para um modelo digital e com mais velocidade – que não era empregado antes no banco. Aprendemos muito com as startups”, ressaltou. Segundo o executivo, a mudança foi importante para trazer insight e inserir o Itaú em um novo ecossistema.

Além de conhecer o espaço, os participantes da inauguração puderam acompanhar dois painéis. O primeiro deles, “The good things about good things” contou com a presença de Paulo Veras, fundador da 99, e Edu Lyra, fundador do Instituto Gerando Falcões. Já o segundo, “The hard things about hard things”, teve a participação de Alessio Alionço, fundador da Pipefy, Cesar Carvalho, fundador da Gympass, uma das fundadoras da Pismo, Diego Gomes, co-fundador da Rock Content e Tiago Dalvi, fundador da Olist.