Conheça o Intelbras Lab 2018, programa de inovação corporativa da Intelbras

Trazendo aprendizados diretamente do Vale do Silício, a Intelbras criou um programa de intraempreendedorismo para fomentar inovação

Avatar

Por Isabela Borrelli

3 de setembro de 2018 às 13:26 - Atualizado há 1 ano

Inovar pode ser a diferença entre a morte e o sucesso de uma empresa, ainda mais grandes corporações que podem ficar com processos engessados ao longo do tempo e serem ultrapassadas por startups disruptivas.

Apostando no sucesso, a Intelbras criou um programa de intraempreendedorismo, que fomenta projetos entre os próprios funcionários, com o nome de Intelbras Lab. Mas a iniciativa não é algo pontual: “Uma indústria de tecnologia não pode deixar de praticar a inovação e a Intelbras sempre fez isso por meio do desenvolvimento dos seus colaboradores e investimento em projetos como o Intelbras Lab”, conclui Altair Silvestri, presidente da Intelbras.

Antes da criação do programa, Aluísio Maykot Serafim, coordenador do Intelbras Lab 2018 e alumnu da StartSe, saiu em busca de inspirações: frequentou startup weekends variados e foi com a StartSe para a Learning Experience, no Vale do Silício, em abril. Depois de fazer essa imersão no mundo das startups e aprender o mindset do Vale do Silício, chegou a hora de trazer esses ensinamentos para a Intelbras.

“Trouxemos metodologias ágeis, como MVP, pensar e falhar rápido, desenvolver com o cliente. etc.. Depois, fizemos um final de semana imerso – como um startup weekend -, levantamos propostas e começamos a ter treinamentos toda sexta-feira durante 10 semanas”, conta Serafim. O projeto também contou com a parceria com o Senac Santa Catarina, que forneceu apoio pedagógico e acadêmico por meio de mentorias e interface com os palestrantes.

O foco da primeira edição do Intelbras Lab 2018 foi a criação de novos produtos a partir de atividades e aulas diversas. No total, o projeto reuniu 13 equipes com profissionais de engenharia, design, marketing e comercial que, durante as 10 semanas, funcionaram como startups. Seguindo a proposta do Vale de promover a diversidade, os profissionais formaram pequenas equipes, trabalhando com colegas que não necessariamente conheciam e de áreas diferentes.

Ao final das 10 semanas, os times apresentaram os projetos para a direção da empresa, em um Demoday realizado na ACATE (Associação Catarinense de Tecnologia), onde os melhores projetos foram premiados.

Segundo Serafim, projetos como o Intelbras Lab 2018 são essenciais para grandes empresas exatamente pela mudança de mindset: “Como o Maurício Benvenutti fala bastante, já não se faz P&D dentro de grandes corporações. A gente tem mais de 300 engenheiros e técnicos de pesquisa e isso nunca vai ser suficiente para brigar com o mundo. Ao mesmo tempo, nós termos a leveza de pensar como uma startup e trazer isso para dentro de uma grande empresa, é muito bom, dá uma leveza muito grande.”

Confira um pouco mais sobre como foi o programa Intelbras Lab 2018:

Iniciativas StartSe

A cada dia as grandes empresas se aproximam mais das startups. Para ajudar as companhias a traçar caminhos rumo à Nova Economia, a StartSe possui sua área Corporate. Com as missões corporativas para o Vale do Silício e China, as companhias podem se conectar com um novo ecossistema nos principais centros de inovação do mundo, entendendo o impacto da tecnologia, os erros e acertos de grandes empresas, conhecendo novos conceitos de inovação corporativa e colocando em prática tudo que aprenderam.

Com os screenings, as empresas podem ter acesso à startups de todo o Brasil para solucionar desafios internos, filtrando as empresas que mais se relacionam com os negócios da companhia. Assim, conseguem inovar e usar a tecnologia para aprimorar processos, adotar novas ferramentas e dar um passo a mais na jornada digital.

Já com o Breaking The Walls, programa de conexão entre companhias e startups, as grandes empresas podem conhecer novos negócios por meio de rodadas mensais – aprimorando oito áreas: Recursos Humanos, Jurídico, Marketing, Vendas, Logística, PMO (Projetos/Produtividade), TI (Tecnologia) e Compras (Procurement). A cada mês, cinco startups apresentam soluções para os setores.

As companhias também podem participar de eventos setoriais durante todo o ano, como a Varejo Tech Conference, descobrindo as principais tendências e tecnologias do setor; a Fintech Conference, voltado ao mercado financeiro e transformações da área; e o RH Day, sobre o futuro do trabalho e inovações na gestão. As empresas interessadas em participar dos eventos podem consultar condições especiais!