Futurista alerta: mercado não voltará a ser como antes – empresas se adaptem!

Avatar

Por Lucas Bicudo

24 de novembro de 2017 às 14:55 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Nova Economia transforma a estrutura das empresas. É inevitável. É questão de produtividade. Fazer mais, com menos. A pesquisadora de Futurismo e Mundo Exponencial, Jaqueline Weigel, apresentou um panorama de “mudanças nas estruturas organizacionais” de companhias durante reunião do G100 Brasil, nesta última quinta-feira (23).

Jaqueline, que também é CEO do Instituto W Ponte para Mudança, acredita que, no último ano, houve uma preocupação excessiva do mercado em superar a crise na expectativa de que as coisas voltariam a ser como antes. Motivo esse que teria atrasado a inovação. “Nós somos um país enorme com cenários diferentes, onde se tem empresas que não venceram a crise, que passaram muita dificuldade e empresas que sobreviveram e têm a expectativa de que o mercado vai voltar ao que era antes. Isso não vai acontecer porque o mundo mudou”.

Para ela, o pensamento linear das empresas, que se baseia em decisões econômicas e políticas para alcançar pequenas metas como o crescimento a curto prazo, tem sido excessivo.  De acordo com Jaqueline, os empresários deveriam se preocupar com a inovação para que as pessoas encontrem seu propósito em um “timing” razoável.Isso que ela sugere é baseado no futurismo exponencial, um setor que busca analisar os avanços da tecnologia para prever os fenômenos que a sociedade enfrentará nas próximas décadas, de modo que possa adequá-las ao presente.

Assim, as empresas como conhecemos estariam com os dias contados, pois a tendência é de que a estrutura organizacional se transforme em um cenário semelhante ao de startups, em que as decisões são tomadas de maneira colaborativa. “Não podemos ser os mesmos, precisamos abandonar esta visão linear para a construção do futuro. Infelizmente, no Brasil muitos empresários ainda acham que este assunto não é relevante e não afeta o mercado, um erro estratégico que pode manchar um legado”.

E aí? Qual sua opinião?

Para te ajudar a refletir sobre o assunto: a Nova Economia está revolucionando a cultura de gestão corporativa. A tecnologia tem desafiado modelos de negócios estabelecidos. As boas práticas de gestão e governança são importantes, mas não aceleram mudanças disruptivas. Existe um novo ecossistema de inovação que quer tomar o mercado dos incumbentes. Como juntar forças e se beneficiar dessa conexão, visando tanto a inovação radical, quanto a inovação incremental?  Não perca a oportunidade de conhecer o evento que a StartSe está promovendo sobre inovação corporativa via startups.

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]