Empresas e fundos de investimento se unem para fomentar o mercado de startups

Associação é vista como algo positivo e benéfico para setor que ainda está em crescimento no país, mas futuro da ação ainda é incerto

Avatar

Por Elena Costa

30 de outubro de 2017 às 14:48 - Atualizado há 2 anos

parceria

O que era para ser mais um setor para as empresas e fundos de investimentos concorrerem entre si tornou-se um meio de união para as partes. Em outras palavras, fundos de investimentos e empresas se juntam para investir em startups.

A união é benéfica para as startups que além do capital para desenvolver o projeto contam com o suporte de profissionais e instalações para testar os produtos. Já para as empresas é uma oportunidade de entrar em contato com as mais novas tecnologias do mercado que poderão possibilitar ampliação da base de clientes e reduções de custos.

E para os fundos é um meio de entender as necessidades tecnológicas das companhias, possibilitando um direcionamento para o investimento, ou seja, em quais projetos eles deverão aplicar o capital.

Para Romero Rodrigues, fundador da empresa de comparação de preços Buscapé, sócio do Red Point Eventures e parceiro do Itaú no coworking Cubo, “as corporações estão atuando de formas diferentes para conseguir tirar melhor proveito desse ecossistema de inovação em etapas diferentes das startups. Quando a corporação quer, de alguma forma, entender o que está acontecendo num estágio um pouquinho mais avançado, ela costuma investir nos fundos de capital de risco”.

A BR Startups já é um fruto desse casamento entre grandes companhias e fundos. Ela é uma vertente de investimentos da Microsoft e conta atualmente com as seguintes empresas na lista de investidores: Monsanto, Banco Votorantim, Algar, BB Seguridade, Qualcomm e Age-Rio.

Franklin Luzes, responsável pelo fundo, afirmou que os fundos e as empresas são mais parcerias do que concorrentes.  Pierre Schurmann, sócio do fundo Bossa Nova Investimentos – no qual o banco BMG tem participação -, também divide desta opinião dizendo que a associação “mais do que beneficiar fundos e companhias, a parceria pode ajudar a consolidar o setor no país”.

Apesar de apresentarem boas relações, os fundos e empresas não descartam que haja algum tipo de conflito no futuro. Se manter competitivo nunca foi tão complexo. As startups têm desafiado grandes corporações e conquistado cada vez mais clientes. Como sua empresa pode inovar a partir delas? Esse é o objetivo do Corporate Startup Inovation – um evento da StartSe para que empresas aprendam a inovar conjuntamente com startups. Clique no link e saiba mais.

(Via Uol Tecnologia)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em patrocinar eventos da StartSe, envie um e-mail para patrocinio@startse.com.br

[php snippet=5]