Comunicação, capacitação e recrutamento: o papel do RH na inovação

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

26 de setembro de 2018 às 17:29 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Criar uma cultura de inovação nas empresas aliada à novos projetos não é uma tarefa fácil, mas extremamente necessária. Maximiliano Carlomagno, sócio-fundador da consultoria de inovação Innoscience, procura preparar as companhias de forma completa, mesmo com alguns obstáculos. “Com frequência, as empresas demandam inovação mas não tem clareza sobre o papel dela na estratégia do negócio”, explicou o executivo durante o RH Day 2018.

Segundo Carlomagno, cerca de 70% dos projetos de inovação em grandes companhias falham. “Os profissionais de RH tem a importante missão de ampliar as taxas de acerto dessas empresas”, ressaltou. Como isso pode ser feito? Entendendo qual o papel do Recursos Humanos baseado em alguns elementos:

Estrutura organizacional

Desenhar o modelo que mais se encaixe com o atual momento da organização é o primeiro papel do RH. “Não se pode ter incoerência entre a ambição de inovar e os recursos para isso”, disse o executivo. Se o objetivo da empresa é melhorar a eficiência operacional do negócio, por exemplo, a conexão com startups no formato de contratação pode ser um bom investimento.

Desenvolvimento de líderes

Desenvolver líderes para que entendam os benefícios, riscos e abordagens de inovação. “Se não houver um alinhamento com a alta gestão, a conduta no dia a dia acaba sendo incongruente com a demanda”, ressaltou Carlomagno. Por isso, todos devem estar na mesma página – líderes, gestores e diretoria.

Avaliações de desempenho

Conectar os projetos de inovação aos processos de avaliação de desempenho de todos os envolvidos é fundamental para engajar os colaboradores e ter sucesso com o projeto. “É muito frustrante quando um colaborador se esforça em um projeto e isso não é colocado na avaliação. O RH precisa estar atento à essa questão”, disse o executivo.

Capacitação

Segundo Carlomagno, treinar os times e desenvolver competências para o melhor uso das ferramentas também é responsabilidade do RH. “É interessante começar a capacitação pela alta gestão e desdobrar nos outros colaboradores. Não adianta querer inovar se as pessoas não estiverem capacitadas para isso”, disse.

Reconhecimento

Recompensar comportamentos e resultados alcançados no projeto é peça-chave no sucesso da iniciativa. Mas atenção: não basta reconhecer apenas os bons resultados. “Quando falamos em inovação, é importante valorizar os erros bons, ou seja, de quem está tentando fazer algo novo”, ressaltou o executivo.

Comunicação

O papel do RH também é comunicar internamente a estratégia, processos, regras e as ferramentas para quem quer inovar. Todos os colaboradores precisam saber o que devem fazer para intraempreender e buscar novas fontes de inovação. Isso passa segurança para que os projetos possam evoluir.

Recrutamento

Muitas empresas enfrentam problemas para executar o projeto. Por isso, é importante recrutar e selecionar talentos que se complementam e se encaixam em todas as etapas. O papel do RH, segundo Carlomagno, é sair do senso comum e recrutar perfis que não são, a princípio, associados à inovação, mas que possuem competências essenciais para o sucesso da iniciativa.