Como o programa de aceleração da Visa ajudou a startup CloudWalk

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

13 de julho de 2018 às 02:08 - Atualizado há 2 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Criada em 2013, a startup CloudWalk foi uma das selecionadas da primeira fase do programa de aceleração da Visa. Simplificando a gestão de transações das empresas, por meio de uma plataforma de pagamentos “plug and play”, a startup permite que os clientes adicionem novos serviços à rede de terminais POS – sigla usada para designar o Point of Sale, ou seja, o ponto de venda onde o cliente paga as suas compras. A empresa utiliza ainda inteligência artificial para detectar anomalias no sistema e fornece dados em tempo real aos clientes.

“A ideia é simples. Queremos dar possibilidades para que companhias consigam adotar operações de pagamento de maneira rápida e barata”, explica Luis Silva, co fundador e CEO da empresa. Segundo ele, as empresas, que antes gastavam em média um ano e muito dinheiro para adotar uma estrutura de pagamento e configurar as máquinas de cartões, hoje levam minutos para realizar a ação.

Na plataforma, elas conseguem customizar as operações das máquinas de acordo com as necessidades. “Uma manicure que precisa separar o pagamento do seu serviço com o restante do salão, por exemplo, consegue fazer isso automaticamente pelo próprio sistema”.

A startup participou da edição do primeiro semestre de 2018 do Programa de Aceleração Visa. A empresa pertencia à categoria Growth, que tem como objetivo acelerar empresas já estabelecidas no mercado. “Passamos por todos os momentos do programa, como mentoria em São Paulo, workshop e viagem para o Vale do Silício [a empresa possui, desde 2014, um escritório na região]”, conta Pedro Terra, diretor de operações da empresa.

Para Terra, as interações com a Visa foram extremamente importantes para o negócio. “Conseguimos mapear melhor o nosso crescimento e criar muitas conexões. Passamos a ser uma empresa mais estratégica – o que ampliou nossa visão sobre o mercado” ressalta.

O Programa de aceleração Visa teve início em 2017 e tem como objetivo fomentar o ecossistema de startups e fintechs no país e promover inovação, talento e tecnologia. Entre as áreas de interesse da empresa, estão: soluções de experiência em loja, IoT, automação comercial, soluções para e-commerce, gestão de vendas, pagamentos, gestão financeira, empréstimos, investimentos, financiamentos, seguros, big data, bitcoin e blockchain. Os investimentos chegam a R$ 205 mil por startup e não há contrapartida de equity.

O programa é dividido em duas categorias: Start e Growth. Na categoria Start, a companhia busca startups em estágio embrionário. Já na categoria growth, somente empresas estabelecidas no mercado podem se inscrever. As empresas passarão por um processo de imersão, bootcamp e elaboração de estratégias. Os períodos de aceleração e incubação variam de três a seis meses, conforme a categoria. As empresas interessadas na categoria Start devem se inscrever aqui até o dia 16 de julho. Para participar da categoria Growth, acesse aqui.

 

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store