BB Seguridade aposta em startups para fortalecer cultura de inovação

Da Redação

Por Da Redação

26 de abril de 2017 às 17:03 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Já ouviu falar na BB Seguridade? O braço de seguros do Banco do Brasil é tão gigantesco que tem capital aberto na bolsa de valores de São Paulo.  E vale bilhões, mais precisamente R$ 57,8 bilhões nesta última terça-feira (25). É mais da metade que todo o Banco do Brasil, que vale R$ 92,5 bilhões.

Inclusive, os 66% de participação do Banco do Brasil no BB Seguridade vale R$ 38,2 bilhões. E a direção da empresa aprendeu a lição (assim como a própria estatal) e sabe que tanto poder e dinheiro não podem ser ameaçadas por falta de inovação. Por entender isso, a empresa está fazendo uma chamada pública de startups, para investimento através do fundo BR Startups, de liderança da Microsoft.

A companhia está atrás de startups inovadoras com soluções aplicáveis ao segmento de insurtech (insurance tech), com receita anual entre R$ 120 mil e R$ 10 milhões. “O investimento da BB Seguridade no fundo BR Startups tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento de soluções que possam melhorar a experiências dos clientes e futuros clientes de seguros, previdência e capitalização, contribuindo para alavancar a cultura de seguridade em nossa sociedade”, afirma Angela Beatriz de Assis, Diretora de Clientes, Comercial e Produtos BB Seguridade.

Embora o segmento de insurtech seja grande o suficiente para se separar das fintechs em geral, a empresa busca não só startups que tenham produtos de seguridade, mas também que possam melhorar seus processos. Ou seja, também busca startups de infraestrutura, sistemas, plataformas, market places, cyber segurança, inteligência artificial, big data e analytics (para prospecção, sinistralidade, cálculo de tarifas e subscrição), marketing e experiência de usuário, dispositivos de IOT (saúde, segurança patrimonial, monitoramento e bem estar) e educação financeira e planejamento pessoal. Ou seja, é uma busca MUITO abrangente (você pode se inscrever no final desta matéria).

Além de fortalecer a própria empresa com a tecnologia e serviços de startups promissoras, a iniciativa colabora para fazer com que a economia brasileira avance. “Além da importância do tema para o desenvolvimento do país, fazer tudo isso, por meio do apoio a jovens empreendedores brasileiros e com soluções inovadoras, é essencial para reforçar o papel e os valores da Companhia junto ao mercado brasileiro”, explica Angela.

Mais do que apenas o investimento financeiro, as empresas também vão receber a experiência dos principais executivos da BB Seguridade através de sessões de mentoria. Receberão também apoio para desenvolver seus negócios e um programa de ação que deve durar de 9 meses a 1 ano.  O valor a ser investido pelo BR STARTUPS e/ou a Acelera Partners poderá ser entre R$ 500 mil a R$ 2,5 milhões por empresa, para uma participação sempre minoritária.  Será elaborado, entre a equipe de gestão e os empreendedores, um Programa de Ação entre as partes, de acordo com a necessidade de cada startup.

É muito interessante ver essa junção de grandes empresas e startups: é uma relação de ganha-ganha e que já ajudou muita startup a crescer forte. Para nós do StartSe, esse é o caminho para fomentar inovação no Brasil – e apoiamos essa iniciativa fortemente aqui dentro. Para ter uma noção de como grandes corporações podem fomentar a inovação através de seus relacionamentos como startup, leia este e-book.

Inovação em um setor regulado

Um ponto importante de notar é que a BB Seguridade precisa deste sopro de inovação para continuar avançando. “As startups não carregam os inibidores criativos de mercados muito regulados, como o segurador, ou de grandes instituições, como a BB Seguridade”, salienta a executiva.

Além disso, as startups são focadas e podem resolver grandes problemas específicos das empresas que as ajudam. “Mais que isso, as startups são desenvolvidas com seu foco em um problema específico da sociedade, o que reforça seus propósitos”, completa.

Isso faz com que o BB Seguridade veja a importância de estar próximo do ecossistema de startups, através deste tipo de iniciativas. “Por esse motivo, é importante a criação de elos com essas empresas, para, antes de tudo, enxergarmos os anseios de nossos clientes, e depois trabalharmos a viabilidade das propostas. Outro ponto positivo, é a forma de trabalhar das startups, que pode trazer insights para nossa organização e para a forma que buscamos a solução dos problemas”, salienta.

Estatais também inovam

Um dos pontos mais interessantes de ressaltar sobre a BB Seguridade é que ela é uma companhia controlada por uma estatal – o último tipo de empresa que você espera que seja inovadora. “Ainda que a BB Seguridade seja uma holding de participação estatal, por ser uma controlada pelo Banco do Brasil, suas práticas de mercado assemelham-se às de empresas do mercado privado”, explica.

Contudo, é importante ressaltar que o Banco do Brasil é o CONTRÁRIO do que o senso comum mostra: é o único grande banco presente no Vale do Silício e ganhou como melhor aplicativo de banco no Brasil. Além disso, faz, com frequência, eventos destinados para a comunidade de startups.

E se o BB é inovador, imagina as empresas que estão sob seu controle (e sofrem menos intromissão estatal). “Isso porque as sociedades seguradoras, de previdência e capitalização em que a BB Seguridade detém participação possuem sócios privados e, desta forma, o aprendizado com as Startups pode ser absorvido também por esses entes”, explica.

E a expectativa da companhia é que essa relação com startups fortaleça ainda mais esse senso de inovação dentro companhia. “Certamente, a interação com as Startups deve incitar a BB Seguridade e suas empresas coligadas a repensar seus processos de forma a torná-los mais eficientes”, completa.

Para Angela, o setor de segurador tem muito a ver com o mercado de startups. “Os produtos de seguridade são construídos em cima da ideia de compartilhamento. Essa proposta surgiu há mais de 2 mil anos, quando as caravanas atravessavam os desertos do oriente para comercializar camelos. Como alguns animais sempre morriam, os cameleiros combinavam de arcar com os animais perdidos. O compartilhamento por sua vez é o ponto forte das novas tecnologias da informação – pois aproximou as pessoas – e o grande apelo de muitas startups”, completa.

Só que embora exista esse fit, o mercado de insurtech não é tão desenvolvido no Brasil. Algo que o BB Seguridade quer resolver. “Apesar disso, o mercado segurador, em termos de inovação, não avançou na mesma proporção de outros mercados, a exemplo do financeiro. O que almejamos alcançar com esse passo é trazer a cultura da inovação para todas as camadas da nossa organização de modo a aumentarmos a percepção de valor dos produtos por nossos clientes”, termina.

Você pode se cadastrar através deste link, mas somente até o dia 4 de maio.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]