Baidu e Xiaomi se juntam para capitalizar IoT e Inteligência Artificial

Avatar

Por Lucas Bicudo

29 de novembro de 2017 às 10:12 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A Baidu e a Xiaomi acabaram de anunciar uma parceria estratégica para capitalizar duas tecnologias emergentes: Internet das Coisas e Inteligência Artificial.

Anunciada hoje na primeira conferência de desenvolvedores da Xiaomi, em Pequim, a aliança é um casamento entre a terceira mais valiosa empresa de tecnologia chinesa de capital aberto e uma das empresas privadas mais valiosas do mundo.

Com um market cap de US$ 86 bilhões, a Baidu ainda não é vanguarda no cenário da tecnologia global. A Xiaomi se tornou um player chave na China e fez incursões em mercados emergentes como a Índia, graças aos seus dispositivos com preços acessíveis.

A dupla está anunciando uma colaboração pela primeira vez, mas o sistema operacional conversacional Baidu – DuerOS – já está presente em alguns hardwares da Xiaomi. Isso é pouco conhecido porque foi deixado sem marca, mas agora as empresas tornaram sua parceria oficial.

Os detalhes exatos da negociação não foram divulgados, mas as duas empresas disseram que explorarão imediatamente oportunidades de reconhecimento de voz, deep learning e computer vision, além de mais trabalho com o DuerOS. O alcance tecnológico da Baidu se estende a robótica, AR, VR e carros autônomos, que também podem ser vistas como áreas de cooperação.

A Baidu preferiu uma abordagem baseada em parceria com fabricantes de hardware para obter o DuerOS e outras tecnologias nas mãos dos consumidores. A empresa não cobra uma taxa de licença para o sistema operacional – o mesmo se aplica a este acordo da Xiaomi – e afirma trabalhar com 130 empresas que cobrem smartphones, smart TVs, smartwatches e eletrodomésticos.

Mais notório ainda, a companhia recentemente divulgou detalhes de seu primeiro alto-falante inteligente, a série Raven. O produto foi fruto da aquisição da startup de hardware Raven no início deste ano.

A StartSe montou um curso online de introdução à Nova Economia. Basicamente, essa nova onda está revolucionando a cultura de gestão corporativa. A tecnologia tem desafiado modelos de negócios estabelecidos. As boas práticas de gestão e governança são importantes, mas não aceleram mudanças disruptivas. Existe um novo ecossistema de inovação que quer tomar o mercado dos incumbentes. Como juntar forças e se beneficiar dessa conexão, visando tanto a inovação radical, quanto a inovação incremental? Essas questões serão discutidas no Corporate Startup Innovation. Não perca a oportunidade de conhecer o evento que a StartSe está promovendo sobre inovação corporativa via startups.

(via TechCrunch)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]