Apple compra startup focada em lentes de óculos de realidade aumentada

Da Redação

Por Da Redação

30 de agosto de 2018 às 17:34 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 16 a 19/Nov, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Recentemente, a Apple adquiriu uma startup focada em fazer lentes para óculos de realidade aumentada – a informação foi confirmada pela própria empresa na última quarta-feira (29) e demonstra um sinal de que a fabricante do iPhone tem ambição de criar um dispositivo que sobreponha informações digitais ao mundo real. “A Apple compra empresas menores de tempos em tempos, e geralmente não discutimos nossos propósitos ou planos”, disse a empresa.

A Akonia Holographics, que não revelou detalhes do acordo, foi fundada há seis anos por um grupo de cientistas de holografia e originalmente, segundo seu próprio site, se concentrou no armazenamento de dados holográficos. Agora, a startup se concentra em crias displays para óculos de realidade aumentada. A Akonia, que possui um portfólio de mais de 200 patentes relacionadas a sistemas e materiais holográficos, afirma que sua tecnologia permite que “lentes de vidro inteligentes finas e transparentes que exibam imagens vibrantes, coloridas e amplas”.

A startup, que já tinha arrecadado US$ 11,6 milhões no passado, estava em busca de novos investimentos antes de ser adquirida pela Apple. Apesar do acordo só ter sido confirmado ontem, a atitude tímida da Akonia nos últimos meses sugere que o acordo possa ter sido firmado ainda no primeiro semestre de 2018 – para reforçar a suspeita, o preço da compra e a data de aquisição não foram revelados por nenhuma das duas empresas.

O histórico da Apple

A Apple tem a fama de comprar empresas menores cujas tecnologias aparecerão, anos depois, em seus produtos. Em 2013, por exemplo, a gigante adquiriu uma pequena empresa israelense chamada PrimeSense – que fazia sensores tridimensionais -, anos mais tarde, em 2017, o iPhoneX foi lançado com um sensor similar em sua tecnologia de reconhecimento facial.

No ano passado, a Bloomberg informou que a companhia estaria trabalhando na tecnologia para lançar novos produtos em 2020. Ainda em 2017, a Apple lançou a ARKit, uma plataforma de realidade aumentada que permite que desenvolvedores criem objetos virtuais para colocá-los em ambientes reais por meio da câmera. Desde então, os rumores de que a companhia estaria investindo na tecnologia em seus Apple Glass só aumentaram.

Apesar de não ter confirmado seus planos para o desenvolvimento de um óculos de realidade aumentada, a Apple demonstra sinais de que isso pode ser tornar real em um futuro próximo. No ano passado, aplicativos de realidade aumentada foram lançados para iPhones e iPads e, recentemente, o CEO, Tim Cook, chamou a tecnologia de um “grande e profundo” desenvolvimento tecnológico. “Essa é uma daquelas coisas que nós vamos olhar para trás e nos maravilhar com o começo”, disse Cook sobre realidade aumentada em uma teleconferência no ano passado.

Atualmente, a Microsoft e a Magic Leap já trabalham com o desenvolvimento de óculos de realidade aumentada, mas suas lentes são escuras e se destinam apenas para uso interno. Ao contrário das possíveis concorrentes, a Apple parece ter encontrado na Akonia uma solução para  lidar com um dos principais desafios da realidade aumentada: produzir lentes claras e finas o suficiente, que caibam em óculos com armações semelhantes às usadas no dia a dia – adequadas para utilização em massa e em ambientes externos, por um preço relativamente baixo.