O PagSeguro é um case sensacional, mas não é o 2º unicórnio brasileiro

O PagSeguro tem todas as características de um unicórnio, menos uma: ela não era, até pouco tempo atrás, uma empresa, e sim propriedade de outra

0
shares

O Nubank se tornou o segundo unicórnio do Brasil, isto é, uma startup com valuation acima de US$ 1 bilhão. Ao publicar esta matéria na quinta-feira, 1 de março, muitos leitores vieram questionar uma coisa: e o PagSeguro? Não seria ele o segundo unicórnio do Brasil depois da abertura de capital bem sucedida na Nasdaq?

Muitos veículos de mídia, como o Estadão e Exame chamaram o Nubank de 3º unicórnio do Brasil. Nós, não. E não vamos chamar: reiteramos que o Nubank é o segundo. O PagSeguro pode ter valuation maior que US$ 1 bilhão - e tem - mas não era uma startup. E se não é startup, não pode se tornar um unicórnio.

A questão é muito simples. Qual a definição clássica de uma startup? Uma nova empresa operando em um cenário de extrema incerteza, sem um modelo de negócios definitivo, mas repetível e escalável. Algumas pessoas limitam o termo “startup” para empresas com menos de 5 anos de existência, não o faremos.

O PagSeguro tem todas essas características, menos uma: ela não era, até pouco tempo atrás, uma empresa, e sim propriedade de outra - no caso, o UOL (que por sua vez pertence ao Grupo Folha, um dos maiores do Brasil). Ela foi constituída em 2006 dentro de um dos maiores grupos de mídia do Brasil e foi crescendo até se tornar, talvez, o principal negócio deste grupo de mídia.  

E mesmo se o PagSeguro tivesse surgido de maneira independente, se ela tivesse sido adquirida pelo UOL, ela deixaria de ser uma startup e passa a ser parte de um grupo maior. Simples assim. É o que aconteceu com outra aquisição do UOL no ramo de pagamentos, o BoaCompra (este voltado para o mercado de games, adquirido em 2011).

Outro exemplo de empresa que tem cara de startup mas está dentro de um grande grupo? A Youse. Ela é uma seguradora online, completamente online. Se tivesse surgido de maneira independente, seria uma das fintechs mais quentes do Brasil. Mas ela é de propriedade da Caixa Seguradora. Não é startup. Não pode se tornar um unicórnio.

Não é o caso do Nubank. A empresa nasceu 100% independente. Seus sócios iniciais eram os fundadores. Teve que batalhar várias rodas de investimento para conseguir escalar as operações. Surgiu desconhecido, sem ninguém (como o UOL) lhe dando um grande selo de recomendação, recursos e força.

Não quer dizer que o caminho do PagSeguro foi fácil (ou mais fácil que o Nubank). Obviamente não foi. Foi uma belíssima trajetória até agora que fortaleceu a economia brasileira, empregou muita gente e melhorou a vida de muitas pessoas (empreendedores, inclusive) ao facilitar e baratear o recebimento de pagamentos.

E fez uma coisa ainda mais importante: deu ânimo para uma empresa que estava em um setor em crise, em completa transformação. Transformou essa empresa e a fortaleceu radicalmente.

O melhor case de inovação corporativa… do mundo?

Poucas empresas possuem a coragem (e a inteligência) que teve o UOL. O ramo de jornalismo, no qual estava inserido, entrou em crise alguns anos atrás, resultando em grandes demissões de profissionais. Eles entenderam que precisavam diversificar as receitas e o resultado disso foi a transformação do PagSeguro em, possivelmente, o maior negócio deles.

Sem a inovação, o UOL provavelmente estaria em situação similar da maioria dos grupos de mídia pelo mundo: sem dinheiro, sem receitas significativas e sem perspectiva de melhora. Isso torna o case do PagSeguro provavelmente um dos melhores de inovação corporativa de todo o mundo. O UOL soube evitar o mesmo destino que matou empresas como Kodak e Blockbuster. Mostrou maturidade.

Empresas que não inovam, que ficam paradas enquanto o mundo muda estão fadadas ao fracasso - engolidas pelas novas entrantes mais adaptadas do que elas. O UOL poderia ter tido esse caminho se não tivesse entendido e inovado, ao entrar no meio de pagamentos com tanto sucesso.

Por isso, estamos promovendo um evento exclusivamente voltado para que as empresas (grandes, pequenas e médias) compreendam a importância da inovação para a resiliência de seus negócios. Queremos que casos como o PagSeguro se tornem mais comuns, assim como os Nubanks também! Existem méritos gigantescos nos dois casos, mas vamos chamar cada um pelo seu nome correto.

Junte-se a mais de 400.000 Empresários e Profissionais Para Conhecer os Negócios Mais Disruptivos do Mundo!

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Investimentos
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema

Comentários

Mais em Corporate