Corinthians lança sua própria criptomoeda, o “Timãocoin”

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

19 de março de 2019 às 08:55 - Atualizado há 2 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

O Corinthians anunciou, nesta sexta-feira (15), o lançamento de sua moeda virtual: o Timãocoin. A intenção é de utilizar a nova tecnologia para aumentar o engajamento com os torcedores e oferecer benefícios. Além disso, o time também deverá oferecer experiências no estádio e vender ingressos.

O valor da moeda será de R$ 10, fator determinante que a difere do Bitcoin, que é variável. Inicialmente, apenas torcedores que possuem Bitcoin poderão comprar o Timãocoin, através de transferências entre criptomoedas. Segundo a Folha, isso acontece porque o clube quer testar como será a adoção da plataforma.

Quem decidir adquirir a criptomoeda do clube poderá experimentar, entre os benefícios, descontos da Accor Hotels, do consórcio de imóveis Igglu, Uber e da plataforma de saúde Polidoc. Em breve, também deverá ser possível realizar doações ao Corinthians.

A iniciativa foi criada em parceria com a fintech Footcoin, especializada em criar criptomoedas para times. A criptomoeda roda na plataforma do Ethereum, uma moeda digital semelhante ao Bitcoin. Além do Corinthians, o Fortaleza e o Atlético Mineiro também estão usando a novidade.

A estimativa da Folha para a duração entre o contrato da Footcoin e o Corinthians é de dois anos. No entanto, se as moedas digitais ainda estiverem em circulação após esse período, esses torcedores continuarão recebendo assistência.