Como a ciência de dados melhora a produtividade, segundo Christian Barbosa

João Ortega

Por João Ortega

9 de setembro de 2019 às 06:25 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os avanços nas tecnologias de processamento de dados, aliados à capacidade de armazenamento de informações, estão transformando todas as indústrias. Ainda assim, quando se fala em melhorar a produtividade humana, o tema pode ser associado a aspectos meramente psicológicos e motivacionais. Christian Barbosa, da consultoria Triad, tornou-se o maior especialista em produtividade e gestão do tempo no Brasil ao adotar uma visão pragmática, baseada em dados e estatísticas, para criar uma metodologia que ajuda a desenvolver as habilidades psicológicas e motivacionais, com o intuito de auxiliar as pessoas a ser mais eficientes no trabalho.

Christian é autor do livro A Tríade do Tempo, que reúne os primeiros estudos que realizou sobre produtividade e vendeu milhões de cópias. Em linhas gerais, a obra divide o tempo em atividades importantes, urgentes e circunstanciais. “Não há interseção entre elas. Urgente é algo que deve ser feito com rapidez, que exige atenção instantânea. Importante é algo que produz resultado, que tem grande valor, merece uma atenção especial e não exige pressa. A esfera que deveríamos priorizar sempre é a das atividades importantes”, explica o especialista à Revista Você S/A.

Em entrevista exclusiva à StartSe, Christian Barbosa revela que o diferencial da sua metodologia está ligada a uma forma de pensar o mundo que é matemática, baseada em estatística. “Eu venho da área de tecnologia da informação. Aos 14 anos, fui o mais jovem programador certificado pela Microsoft e, com 15, desenvolvi o primeiro portal de internet do país”, recorda.

Método baseado em dados

Por conta do sucesso precoce no mercado de trabalho, Christian tornou-se, na avaliação dos médicos, um jovem estressado e com alta chance de comprometer a própria saúde. Aos 18 anos de idade, foi recomendado a ele entrar em cursos de gestão do tempo. O assunto logo atraiu seu interesse.

Há duas décadas, porém, estes cursos tinham uma abordagem puramente empírica da questão. Como programador, ele decidiu desenvolver um software para medir a eficiência destes métodos. O resultado matemático foi que, na prática, nenhum deles funcionava. Este foi o pontapé inicial para que Christian desenvolvesse uma metodologia baseada em dados e estatística e pudesse ser treinada com auxílio de um programa.

“A base da execução humana é numérica, é matemática”, explica. “Há áreas complementares aos dados: fiz pesquisas com neurologistas, para entender como o cérebro humano funciona; trouxe para a minha equipe uma médica nutróloga para entender como a alimentação, a partir de valores energéticos e nutritivos, influencia a produtividade humana; psicologia é um tema que está muito ligado, temos psicólogos na Tríade, são importantes para entender a questão. Mas são ciências acessórias, que interferem na produtividade, mas pouco. Por exemplo, óbvio que uma pessoa deprimida vai render menos, mas até uma pessoa deprimida, com bom planejamento, pode ser mais produtiva do que alguém extremamente motivado sem um plano”.

Neste sentido, segundo Christian, a metodologia que desenvolveu é treinável. Ou seja, a produtividade é uma habilidade, e não algo intrínseco à personalidade de determinadas pessoas. “Há pessoas que nascem com uma pré-disposição para organizarem melhor o tempo, terem uma mentalidade mais produtiva. Mas são poucas. Eu não nasci assim”, revela.

“O que sabemos hoje, por estatística, é que os resultados começam a aparecer entre a quinta e a nona semana de aplicação da tecnologia. É o tempo que demora para desenvolver o córtex pré-frontal, uma área do cérebro que está intimamente ligada à adaptabilidade. Não existe milagre: existe método, existe ferramenta, existe acompanhamento do progresso para alcançar o resultado”, explica Christian.

Hoje, a consultoria Triad já treinou, com este método, mais de duas milhões de pessoas em cursos presenciais para empresas. A solução foi adotada em mais de 30 países.

Produtividade na história

Gestão do tempo é uma questão primordial para o ser humano, independentemente da época. Christian conta que, em seus estudos, descobriu que os egípcios antigos e até Leonardo da Vinci deixaram relatos sobre a falta de tempo para realizar tarefas. No entanto, as prioridades são mutáveis.

Por exemplo, há algumas décadas, o objetivo das empresas, em relação à produtividade, era que os funcionários conseguissem realizar o máximo possível de tarefas durante a jornada de trabalho. Este cenário evoluiu, recentemente, para companhias que querem garantir a qualidade de vida das pessoas (e, assim, reter ou atrair os melhores talentos). Neste sentido, a prioridade é que os empregados sejam produtivos a fim de terem mais tempo livre para cuidar da vida pessoal.

As startups, por outro lado, focam na agilidade. “Com o advento das metodologias ágeis, a questão é tornar equipes mais rápidas e produtivas para competir no mercado. Não há cobrança de horário, de vestimenta, apenas a necessidade de que as pessoas sejam ágeis enquanto produzem”, explica Christian.

Para o futuro, as previsões de Christian apontam para duas tecnologias que vão mudar a relação das pessoas com a produtividade: Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA). A primeira estará cada vez mais presente em wearables, como roupas inteligentes que monitoram as atividades do cotidiano e geram relatórios para a melhor gestão do tempo. Um exemplo, lançado recentemente pela startup Form, são os óculos de natação que transmite métricas em realidade aumentada.

A segunda impactará o mercado de trabalho como um todo, arrebatando funções repetitivas que tomam boa parte do tempo das pessoas. Hoje, inclusive, Christian Barbosa é investidor de diversas startups de Inteligência Artificial no exterior. Para saber mais sobre  os impactos da inteligência artificial no mercado de trabalho, ouça o podcast MVP, disponível no Spotify, Deezer e Apple Podcasts. Ou, participe da Inteligencia Artificial Conference, realizada pela StartSe, no dia 30 de outubro.