Cientistas criam pílula que envia dados do intestino em tempo real para o celular

Avatar

Por Elena Costa

7 de fevereiro de 2018 às 15:47 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Pesquisadores da RMIT University, na Austrália, desenvolveram uma pílula que permite analisar os gases presentes no nosso sistema gastrointestinal e enviar as os dados captados para um celular em tempo real. A pílula é o primeiro método de transmissão ao vivo das informações do intestino sem procedimentos invasivos.

Envolvido no projeto, o professor Kourosh Kalantar Zadeh afirma que o que está medindo são as flatulências antes de serem expelidas.  E que a pílula se trata de um sensor de gases, ressaltando que “quanto mais conseguirmos analisar o teor deles, melhor a informação que teremos sobre o intestino do paciente”.

Recentemente os cientistas encerraram os primeiros testes em humanos. Eles pretendem utilizar a pílula para diagnosticar doenças gastrointestinais, como aponta Zadeh. “Há diferentes tipos de intolerância. Temos uma série de malabsorções de carboidratos, como podemos diferenciá-las? Como elas impactam o intestino? E em quais pontos? Os cientistas não sabem e o invento deve ajudá-los”, questiona o professor.

Caso triunfe, a pílula  causará um impacto gigantesco nas pessoas, na indústria e nas políticas públicas de saúde. Saiba mais sobre a revolução que o setor está passando na nossa HealthTech Conference.