Quanto Bezos, Gates e Zuckerberg deram às ONGs em 2018?

Da Redação

Por Da Redação

7 de março de 2019 às 08:50 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os bilionários empreendedores americanos tiveram um bom ano em 2018. Ainda assim, eles não foram tão generosos, como de costume, ao compartilhar parte da riqueza gerada pelos seus negócios, com as organizações sem fins lucrativos como fizeram em 2017.

A conclusão é de um levantamento da Chronicle of Philanthropy, revista que cobre o mundo das ONGs, com sede nos Estados Unidos.

No ano passado, os 50 bilionários mais generosos dos Estados Unidos – uma lista que inclui o fundador da Amazon e homem mais rico do mundo, Jeff Bezos; o co-fundador da Microsoft, Bill Gates, e o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg – distribuiu, segundo a Chronicle of Philanthropy, “apenas” US$ 7,8 bilhões. Isso pode parecer muito, mas os 50 maiores mega-doadores dos Estados Unidos deram para caridade US$ 14,7 bilhões em 2017.

O que pode estar por trás do declínio no valor doado às ONGs americanas? Segundo Lynn Raynault, CEO e co-fundadora da Segments of One, organização que conecta as principais organizações de luxo, finanças e sem fins lucrativos do mundo aos indivíduos de patrimônio líquido ultra-alto, 2017 foi um ano atípico para os bilionários empreendedores americanos.

“Eu acho que é menos sobre dar menos em 2018 (porque 2018 ainda estava bem acima dos outros anos), e mais sobre o fato de que 2017 ter sido um ano atípico”, disse Raynault, em entrevista à FOX Business. O ano de 2017 foi o que registou maior valor em dólares doados para caridade desde 2008, segundo a Chronicle of Philanthropy.

É importante ter em mente, afirma Raynault, que apenas um ou dois doadores podem distorcer os números em qualquer direção. “Dos 50 principais doadores, em 2017, havia duas pessoas responsáveis ​​por 50% das doações. Bill Gates e Mark Zuckerberg deram juntos cerca de US$ 7 bilhões.

Interesses diferentes

Bill Gates e sua esposa Melinda doaram US$ 4,8 bilhões para sua fundação em 2017, mas apenas cerca de US $ 150 milhões em 2018. “Os bilionários tendem a fazer filantropia com base em questões relevantes, mas que seguem obviamente seus próprios princípios e interesses”, diz Raynault. Em outras palavras, os bilionários geralmente contribuem para uma causa específica e as oportunidades relacionadas podem variar de ano para ano.

“Por exemplo, em 2018, houve uma série de bilionários de tecnologia apoiando os esforços em torno da inteligência artificial e seu uso para reduzir a fome, ajudar em questões de saúde ou melhorar a educação”, diz Raynault.

Menos pressão

Se os bilionários estão dando menos, pode ser porque eles não estão se sentindo pressionados. Considere Jeff Bezos. Sua ascensão de geek tranquilo e privado para o homem mais rico do mundo o colocou sob os holofotes, em 2017. “Ele foi colocado no centro das atenções e pode ter se sentido pressionado agora que é insanamente público. Ele pode ter sentido que era o seu momento para doar”, diz Raynault. Em 2018, Bezos doou US$ 2 milhões de dólares a mais, em relação a 2017, para ONGs e instituições de caridade.

Escândalos

Mark Zuckerberg e sua esposa, Priscilla Chan, podem estar se sentindo cheios de dinheiro em 2017 quando doaram US $2 bilhões, mas 2018 foi um ano difícil para o Facebook, com a gigante das mídias sociais enfrentando uma sucessão de crises.

Zuckerberg viu seu patrimônio sofrer um grande baque no ano passado, consequentemente, doou menos, dando para caridade cerca de US$ 200 milhões. “Essa ainda é uma quantia relativamente grande e está de acordo com o que eles (casal) deram em anos anteriores”, diz Raynault.