Musk diz que aplicativo da Tesla “obviamente” concorrerá com Uber

O CEO da Tesla falou sobre a Tesla Network, corrida por aplicativo de carros autônomos da empresa, no mesmo dia em que anuncia trimestre recorde em resultados

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

25 de outubro de 2018 às 17:17 - Atualizado há 1 ano

Donald Trump e Elon Mus

Um dos grandes planos que Elon Musk possui para a Tesla é de construir uma frota de carros autônomos e operar o próprio serviço de corrida por aplicativos (ou ride-sharing). Nesta quarta-feira, o empreendedor voltou a tocar nesse assunto ao afirmar que o serviço “competirá diretamente com a Uber e Lyft, obviamente”.

O serviço, que tem previsão de funcionamento para o final de 2019, trará a Tesla para outras duas tendências da mobilidade: os carros autônomos e as corridas por aplicativos. Hoje, a empresa já é uma das líderes em carros elétricos, outro setor que está em crescimento nesse mercado.

O diferencial defendido por Elon Musk é de que a Tesla teria toda a frota composta por carros autônomos. O serviço é chamado de “Tesla Network” e é visto como uma maneira dos donos de carros da Tesla a financiarem os veículos, tornando-o lucrativo em momentos em que estariam ociosos, dentro da garagem.

Atualmente, os carros da Tesla possuem um sistema de piloto automático semiautônomo e está em processo de desenvolver um sistema completamente independente. Os donos de veículos da Tesla que compraram os veículos antes da atualização não ficarão desamparados: a própria montadora já disponibilizou um hardware para venda que tornaria os carros completamente autônomos assim que a solução estivesse disponível e aprovada pelas autoridades. Segundo o Business Insider, o hardware deixou de ser vendido após os clientes da montadora confundirem as duas diferentes funções.

Apesar de Musk defender a frota completamente autônoma como um diferencial, talvez a iniciativa seja apenas uma questão de tempo. As próprias Uber e Lyft (concorrente da Uber que atua apenas nos Estados Unidos e Canadá) já estão desenvolvendo os próprios sistemas e carros autônomos, seguida por empresas de peso como a Waymo, empresa de mobilidade da Alphabet, holding do Google.

O trimestre recorde da Tesla

Na mesma conferência em que falou sobre a competividade do Tesla Network, Elon Musk anunciou boas notícias aos seus investidores. A montadora de carros elétricos superou as expectativas de Wall Street, superando a receita esperada – de US$ 6,3 bilhões -, para US$ 6,8 bilhões. A companhia descreveu julho, agosto e setembro como “um trimestre verdadeiro histórico”.

Outra vitória que a companhia teve no terceiro trimestre foi que o Model 3, veículo mais acessível da montadora, foi o 5º carro mais vendido nos Estados Unidos e o primeiro em termos de receita. O primeiro saldo positivo em dois anos da empresa foi o lucro de US$ 311,5 milhões.

Mas o Model 3 não trouxe notícias positivas apenas em sua receita, mas também na entrega dos carros – a empresa superou a previsão de Wall Street de 52.425 mil carros entregues ao atingir o número de 55.600 veículos. Os recordes podem estar ajudando a Tesla a superar um momento difícil, após a polêmica de Elon Musk com a SEC, órgão controlador do mercado nos Estados Unidos. Conheça a história completa da empresa em nosso e-book gratuito.