“A Amazon destruiu a indústria de varejo”, diz Secretário de Tesouro dos EUA

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

24 de julho de 2019 às 15:49 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

“A Amazon destruiu a indústria do varejo”, disse Steven Mnuchin, Secretário de Tesouro do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em entrevista à CNBC. O Departamento de Justiça do país anunciou, nesta terça-feira (23), que irá realizar uma revisão antitruste com grandes empresas de tecnologia – o que inclui a Amazon, Alphabet (holding do Google) e Facebook.

“Se você olhar para a Amazon, embora tenha alguns benefícios, eles destruíram a indústria de varejo nos Estados Unidos, então não há dúvidas de que eles possuem uma competição limitada”, afirmou Mnuchin na entrevista.

Uma das críticas do secretário é o impacto da varejista em pequenos negócios. De acordo com ele, o Walmart não tem o mesmo peso do que a Amazon nos concorrentes, mesmo também sendo uma gigante no varejo. “As pessoas tiveram essas preocupações sobre o Walmart. Walmart desenvolveu um negócio no qual pequenos negócios podiam continuar competindo com eles”, disse.

Participe do futuro do varejo e do e-commerce no VarejoTech Conference

A Amazon escreveu à CNBC em resposta. A empresa afirmou que pequenos e médios negócios estavam ascendendo junto com a Amazon. A varejista possui um marketplace em que concorrentes podem realizar vendas em troca de comissões. “Hoje, vendedores independentes possuem mais de 58% da receita típica de vendas na Amazon, e as vendas deles cresceram duas vezes mais rápido do que as nossas próprias, totalizando US$ 160 bilhões em 2018”.

Mas o marketplace da Amazon é motivo de preocupação inclusive fora dos EUA. Comissão da União Europeia anunciou, na semana passada, a abertura de uma investigação para verificar se a empresa estaria usando dados de vendas dos concorrentes.