Amazon é investigada pela União Europeia por práticas anticompetitivas

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

17 de julho de 2019 às 11:38 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Comissão Europeia anunciou, nesta terça-feira (16), a abertura de uma investigação contra a Amazon. A União Europeia suspeita que a empresa esteja praticando políticas anticoncorrenciais.

A ação está sendo movida por Margrethe Vestager, dinamarquesa e comissária europeia em concorrência. Vestager possui um histórico em investigar grandes empresas de tecnologia, como Google, Apple e Facebook. No caso do Google, a empresa levou uma multa de US$ 5 bilhões em julho do ano passado, também por violar regras antitruste.

A principal preocupação da Comissão é o papel duplo desempenhado pela Amazon de marketplace e e-commerce. A investigação é para entender se a Amazon está coletando e usando para seu benefício dados dos concorrentes que vendem em sua plataforma (na categoria de marketplace).

“Consumidores europeus estão aumentando as compras online. O e-commerce acelerou a competição no varejo e trouxe mais escolhas e preços melhores. Nós precisamos garantir que as grandes plataformas online não eliminem esses benefícios através de um comportamento anticompetitivo. Eu decidi olhar mais de perto o negócio da Amazon e suas práticas e seu papel duplo como marketplace e varejista, para verificar seu compliance com regras de competição europeia”, afirma Vestager.

A investigação antitruste contra a Amazon não possui um período definido. A duração depende do número de fatores investigados e complexidade do caso.