Amazon coloca machine learning a serviço de profissionais da saúde

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

30 de novembro de 2018 às 08:51 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Amazon anunciou, na terça-feira (27), o lançamento Amazon Comprehend Medical, que usa machine learning para identificar e extrair dados de registros dos pacientes. O serviço vai ajudar profissionais da saúde, seguradoras, pesquisadores e empresas farmacêuticas a melhorar a tomada de decisão clínica, a agilizar as prescrições de tratamentos e o gerenciamento de exames médicos.

O Comprehend Medical usa um software na nuvem e análise prescrições, anotações e outros documentos médicos, organizando informações sobre diagnósticos, tratamentos, dosagem de medicamentos e sintomas. Hoje, segundo a companhia, a maioria dos dados são armazenados de forma não estruturada – e com a solução isso mudará.

O serviço poderá  “ler” o texto e, em seguida, identificar e agrupar as informações médicas contidas nele. Segundo a empresa, os dados também poderão futuramente ajudar o paciente a administrar sua própria saúde, gerenciamento medicamentos e agendando visitas com mais facilidade.

Em um post de blog da AWS, a empresa afirma que o programa pode “identificar condições médicas, condições anatômicas, detalhes de exames médicos” em uma variedade de documentos. Um usuário simplesmente insere o termo de interesse no Comprehend Medical, que então “lê” o texto e extrai termos médicos relevantes, bem como informações de saúde do paciente.

A companhia já está estudando uma parceria com a Roche Diagnostics, empresa farmacêutica e de diagnósticos com sede na Suíça, e com o Fred Hutchison Cancer Research Center, em Seattle.

“Para pacientes com câncer e pesquisadores dedicados a curá-los, o tempo é o recurso limitante. O processo de desenvolvimento de ensaios clínicos e sua conexão com os pacientes certos exige que as equipes de pesquisa analisem e classifiquem a montanha de dados de registros médicos não estruturados”, disse Matthew Trunnell, CIO do centro de pesquisa, em um comunicado.

Em junho deste ano a Amazon adquiriu a farmácia online dos Estados Unidos PillPack – o que reforça a entrada da companhia no setor de saúde.