Conheça os 6 D's do crescimento exponencial

Como identificar se uma startup está em processo de escalar? À partir dos 6 Ds do crescimento exponencial é possível reconhecer em que estágio de expansão a empresa se encontra

0
shares

Já falamos sobre crescimento exponencial, mas se você deixou de ler este artigo, vou recapitular. Hoje em dia, um dos investimentos com maior potencial de crescimento exponencial é o realizado em startups.

A startup é uma empresa que geralmente está em fase inicial e que utiliza a tecnologia de forma intensiva em todos os seus processos, do RH às vendas. Isso torna o seu modelo escalável e, caso tudo corra bem, em poucos anos o faturamento (e, como consequência, o valor da empresa) poderá ser multiplicado algumas vezes.

Para entender o que é escalar o negócio, vou usar um exemplo utilizado pela Endeavor. Quando se fala em escala, a melhor forma de representá-la graficamente é o famoso gráfico "hockey stick". Aquele que parece com um taco de hóquei, onde o começo é flat e curto, como a parte do taco que bate no disco para conduzí-lo, e o final, a parte mais bonita dele, é íngreme, como a parte onde o jogador segura o taco.

A verdade é que todo empreendedor deseja ter um gráfico assim. O gráfico revela que a startup demorou uns meses para encontrar o modelo de negócio, caminhando de lado, o que é natural, e, logo depois, alguma coisa aconteceu e ela começou a crescer em ritmo exponencial, ou seja, começou a escalar.

Alguns exemplos conhecidos de empresas cujos gráficos de crescimento são como ops da figura acima são Google, Uber, Facebook, Airbnb, 99, Nubank, Guia Bolso, entre outras.

Mas por que somente startups conseguem ter crescimento exponencial? Muito provavelmente não. E, para explicar, vou usar o caso da Petrobras. O seu faturamento é limitado pela produção de petróleo. Por mais que todas as pessoas no Brasil precisem de gasolina e estejam dispostos a pagar R$ 15 por um litro – ou seja, muito mais caro do que atualmente – isso não significa que ela é escalável.

Por mais que o aumento dos preços aumente o faturamento da empresa, logo o faturamento irá estagnar. A razão é que não será possível aumentar a sua produção sem um grande investimento em bens de capital. A única alternativa seria a implementação de tecnologias que aumentem a produtividade da empresa, sem ser necessário grandes investimentos ou aumento dos custos.

Como identificar um negócio escalável

Como identificar se um negócio está nesse processo (de escalar) ou não? Com os 6 Ds do crescimento exponencial, você consegue essa identificação. Saiba quais são eles:

Digitalização. Este é o primeiro estágio. É quando o seu produto ou segmento sofre alguma influência de ser digitalizado. Não precisa ser tudo, como o que aconteceu com Blockbuster e Netflix. Esta segunda simplesmente digitalizou os filmes e acabou com o sentido de alguém passar numa locadora.

Entretanto, pode ser simplesmente parte do processo, como fez a Yuool ao digitalizar a distribuição de seus calçados, permitindo que ela tenha um produto de excelente qualidade a um preço competitivo. Com isso, a Yuool reduz o custo de estoque, já que se vale da produção just in time, a margem extra do varejista, e o fator local. Qualquer um, em qualquer lugar do mundo, pode comprar e receber na porta da sua casa um calçado da Yuool.

Decepção. No começo, o crescimento é sempre um pouco “decepcionante”, pois existe uma grande expectativa em torno dele. Podemos ver os exemplos de Netflix e Yuool. No início, os filmes travavam a internet, que por vezes a conexão caia. O que acabava por adiar a atividade para o outro dia. Já o caso da Yuool, nos primeiros meses, a venda duplicava, mas vender 50 em um mês e 100 no outro ainda não parecia a grande solução. Afinal, uma rede varejista teria capacidade de comprar muito mais já de início.

Disrupção. É quando o processo começa a fazer sentido para mais pessoas e o crescimento exponencial tem início. Isto é, mais e mais pessoas assinando a Netflix ou mais e mais pares sendo vendidos, e geralmente bem acima do planejado.

Desmaterialização. Nesta etapa, todo o segmento começa a deixar de operar da forma tradicional e passa a trabalhar com o novo modelo. A Netflix foi a primeira a acabar com o DVD e lojas físicas, mas hoje já temos disponíveis Prime Videos (da Amazon), Crunch (Sony), HBO Go (HBO), Globo Play (Rede Globo), entre outros. E você não vê mais locadoras.

No caso dos tênis da Yuool, claro que também temos outros cases, e alguns inclusive começaram antes dela, mas o varejo ainda não chegou nesse ponto de quase total desmaterialização, como ocorreu com o segmento dos filmes.

Desmonetização. O crescimento já está em um nível exponencial muito grande e não existe mais o filme em DVD e as lojas físicas, que encareciam demais o processo. Logo, o custo de distribuição está cada vez mais barato, possibilitando que você pague um valor muito baixo, com a tendência de ser cada vez mais barato: hoje, pelo mesmo preço que se alugava um DVD por um final de semana, você paga uma mensalidade para assistir a quantos filmes quiser.

Democratização: É quando praticamente todo o mundo pode acessar aquele produto/serviço. Afinal, ele está totalmente disponível, tanto porque ele está a um click de distância como porque custa muito pouco. Depois de entender e conseguir identificar em qual ponto o segmento se encontra, ficará mais fácil saber se esta empresa está num processo mais escalável. E também qual é o potencial de multiplicar algumas vezes o seu investimento.

Quer poder conhecer empresas que estejam neste processo de escalabilidade e que você pode se tornar sócio? Acesse a nossa plataforma.

Leia outros artigos de Paulo Deitos

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários