Após áudios vazados, Google confirma que escuta gravações de assistente virtual

Artigo do VRT NWS revelou que alguns conteúdos são gravados sem consentimento dos usuários; companhia afirmou que está tomando providências para investigar o caso

0
shares

Na última quarta-feira (10), o canal belga VRT NWS publicou um artigo polêmico sobre o uso do Google Assistant. A matéria revelou que os funcionários da companhia podem ouvir posteriormente gravações registradas por dispositivos equipados com o assistente. Mas mais do que isso: o veículo teve acesso a mil gravações, e 153 delas foram realizadas sem o consentimento dos usuários. O conteúdo foi disponibilizado por fontes não reveladas pelo VRT NWS.

Hoje, todas as interações feitas nos dispositivos com o Assistant são gravadas. Isso é, inclusive, colocado nos termos de condições apresentados aos usuários. Porém, não é mencionado que os funcionários podem ouvir esses trechos. Muito menos que as gravações podem ser feitas sem os clientes perceberem.

Geralmente, os dispositivos são acionados e só começam a interagir com o usuário com frases como “Ok, Google”. Mas tudo indica que os assistentes podem iniciar gravações sem o gatilho. Para evitar que os trechos sejam automaticamente vinculados a um usuário, os funcionários são desconectados de informações pessoais. Porém, ao ter acesso aos áudios gravados, o VRT NWS News encontrou endereços e outras informações confidenciais que permitiram identificar os donos das vozes. 

Também foram encontradas nas gravações perguntas sobre questões médicas, informações profissionais e até mesmo comandos para pesquisas de conteúdos pornográficos. Segundo o VRT NWS, uma de suas fontes, que trabalha para o Google, afirmou que já precisou escutar uma gravação na qual uma mulher podia ser ouvida e claramente precisava de ajuda. Os funcionários não recebem nenhuma orientação do que fazer nesses casos. 

A resposta do Google

Com a repercussão do caso, o Google divulgou um comunicado. A companhia afirmou que toma precauções para preservar as identidades dos usuários e que tem várias proteções para evitar as chamadas falsas ou seja, aquelas que acidentalmente ligam o dispositivo. 

A empresa ainda disse que trabalhadores humanos revisam apenas 0,2% das gravações para ajudar o software do Google a operar em vários idiomas. “Acabamos de saber que um desses revisores de linguagem violou nossas políticas de segurança de dados vazando dados de áudios holandeses confidenciais”, disse David Monsees, gerente de produto da equipe de Pesquisa do Google.

Segundo a companhia, as equipes de segurança e privacidade foram ativadas para investigar o caso e tomar providências. “Estamos realizando uma revisão completa de nossas políticas de proteção para evitar que erros de conduta como esse ocorram novamente”.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários