Um ano após fechar 800 lojas, ‘Toys R Us’ volta com e-commerce e novo varejo

Rede de lojas de brinquedo mais famosa dos EUA prepara retorno depois de declarar falência e demitir 33 mil funcionários no ano passado

0
shares

A icônica rede norte-americana de lojas de brinquedos Toys R Us está adotando uma nova estratégia no varejo para retomar suas operações nos EUA. Em junho de 2018, a empresa declarou falência, fechou cerca de 800 lojas e demitiu mais de 33 mil funcionários. Agora, a Bloomberg noticia os planos dos executivos para criar uma nova experiência de consumo com foco no e-commerce.

Richard Barry, que era executivo da Toys R Us e se tornou CEO da recém fundada marca Tru Kids, vai revelar uma “nova visão” para a rede de lojas de brinquedo nesta semana – informação que ainda não foi confirmada oficialmente pelas marcas. Segundo as fontes ouvidas pela Bloomberg, os planos de Barry são a criação de apenas seis espaços físicos com um terço do tamanho das antigas lojas, espalhados em pontos centrais dos EUA. Ao invés de milhares de prateleiras lotadas de produtos à venda, os locais terão foco em áreas para brincar e experimentar as principais novidades do setor.

Neste sentido, as poucas unidades da Toys R Us terão como função engajar consumidores com a marca e apresentar os brinquedos mais inovadores ao mercado. As lojas não terão grandes estoques e os fabricantes terão de aceitar um contrato “consignado”, em que só recebem o valor do produto se este for comprado por um cliente. No caso de não haver procura, eles são devolvidos pela varejista. O modelo foi pensado para reduzir custos.

Com poucas lojas físicas, espera-se que o volume de vendas venha através do e-commerce que será lançado pela Toys R Us. As novidades estão previstas para iniciar operações antes dos feriados de Ação de Graças e Natal, além da Black Friday, principais datas para o comércio de brinquedos nos EUA.

A disputa no setor

Quando a Toys R Us pediu falência em junho de 2018, a empresa contava com uma receita anual de cerca de US$ 7 bilhões. Desde então, criou-se um vácuo no setor, que foi visto com bons olhos por gigantes do varejo como Amazon e Walmart. Ambos expandiram seu catálogo de brinquedos desde então.

Entretanto, a Toys R Us ainda mantém uma marca forte nos EUA e o pouco tempo que ficou de fora do mercado não foi o suficiente para diminuir sua relevância no setor de brinquedos. A MGA Entertainment, fabricante bilionária de brinquedos com 40 anos de trajetória, revelou que seus produtos estarão nas lojas do novo varejo da Toys R Us, bem como no e-commerce da marca.

Entretanto, ainda há expectativa sobre quais fabricantes de brinquedos vão aderir ao breve retorno da Toys R Us. Quando a varejista pediu falência no ano passado, diversas marcas acabaram tendo prejuízo ao não receber pelos produtos que foram vendidos com descontos de até 95%.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários