Porque a tecnologia de voz veio para ficar

A Apple foi uma das primeiras empresas a identificar a tendência com a criação da Siri — desde então, a tecnologia tem se tornado cada vez mais popular

0
shares

Os dispositivos de comandado por voz têm ganhado cada vez mais espaço no mercado — sejam os alto falantes, televisores ou até mesmo geladeiras. Mas se engana quem pensa que tudo começou agora. Em 1876, com o surgimento do telefone, a voz já era protagonista entre as tecnologias mais modernas. Depois, acabou perdendo espaço para as mensagens SMS e, mais recentemente, para outras plataformas como WhatsApp. Hoje, volta a ser destaque com dispositivos criados por grandes empresas.

Uma das primeiras empresas a identificar a tendência foi a Apple. A companhia criou, em 2011, a Siri, sua assistente pessoal disponível para o iPhone 4s. Por meio dela, é possível fazer uma ligação, enviar um e-mail, reproduzir músicas e outras funcionalidades.

Siri, assistente pessoal criada pela Apple em 2011 para os iPhones 4s.

Inicialmente lançada nos Estados Unidos, a Siri se tornou mais popular no Brasil em 2015 quando foi disponibilizada na língua portuguesa. Hoje, a Siri é compatível com todos os modelos de iPhones, iPads, Apple Watches, Macbooks e com o HomePod, a caixa de som inteligente da companhia. Desde então, outras empresas investiram em soluções semelhantes, como Amazon e Google.

Leia mais:

Casas, carros e escritórios: a tecnologia de voz está em todos os lugares

Como as empresas estão usando os assistentes de voz?

Conheça 3 startups brasileiras que usam assistentes de voz em seus produtos

Tecnologia de voz: os setores impactados por essa tendência

As barreiras na adoção da tecnologia de voz no Brasil

Crescimento da tecnologia

Hoje, milhões de pessoas já usam os comandos de voz para tarefas comuns do dia, principalmente nos Estados Unidos. Segundo um estudo realizado pela Juniper Research, o número de assistentes pessoais em uso no mundo será de 8 bilhões em 2023, em comparação a cerca de 2,5 bilhões no final de 2018.

A pesquisa revelou um dado inusitado: o uso das Smart TVs equipadas com a tecnologia de voz crescerá 121% ao ano. Já os os alto-falantes terão um crescimento de 41% ao ano. O relatório da Juniper também mostra que o comércio de voz atingirá mais de US$ 80 bilhões até 2023.

O crescimento da tecnologia se deve, principalmente, à hiperconectividade. Hoje, os comandos de voz já podem ser usados em diversos dispositivos, como celulares, TVs, alto-falantes e relógios inteligentes. Além disso, trazem praticidade e familiaridade aos usuários, que aprendem a falar antes mesmo de ler e escrever.

Objetos conectados

À medida em que o recurso ganha força, diversos objetos serão substituídos por versões mais inteligentes. Nos Estados Unidos, por exemplo, já é possível controlar fornos e microondas usando os comando por voz. Basta dizer algumas palavras para ativar diversas funções, como pré-aquecimento e modos de cozimento.

Até mesmo os carros já estão se adaptando à tendência. No início de 2018, Elon Musk anunciou que a Tesla está trabalhando em veículos com a funcionalidade. Segundo o executivo, os clientes “poderão fazer quase tudo via comando de voz”. Já a BMW está desenvolvendo um sistema que reconhece voz, gestos e até olhares dos motoristas.

Especial StartSe A Voz na Nova Economia

Casas, carros e escritórios: a tecnologia de voz está em todos os lugares

Como as empresas estão usando os assistentes de voz?

Conheça 3 startups brasileiras que usam assistentes de voz em seus produtos

Tecnologia de voz: os setores impactados por essa tendência

As barreiras na adoção da tecnologia de voz no Brasil

Junte-se a mais de 400.000 Empresários e Profissionais Para Conhecer os Negócios Mais Disruptivos do Mundo!

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Investimentos
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema

Comentários