Apple Watch já é capaz de identificar mudança no quadro de saúde do usuário

Apple Watch detectou batimentos cardíacos irregulares de usuário com apenas dois dias de uso; ao checar a própria saúde, usuário descobriu uma doença cardíaca

0
shares

No início de 2018, o Apple Watch foi capaz de detectar diabetes em usuários com 85% de precisão. Agora, a notícia é outra: o relógio inteligente da Apple detectou que havia algo errado no coração de um de seus usuários.

A usuária do Twitter Elissa Lombardo falou para Tim Cook na última quinta-feira (10) que o relógio da Apple havia salvado a vida de seu marido. Com apenas dois dias de uso, ela afirmou que o relógio diagnosticou batimentos cardíacos irregulares.

O marido de Lombardo foi checar os sintomas na emergência e foi diagnosticado com as artérias entupidas. Ele passou a usar dois stents para tratar a condição recém-descoberta e prevenir que o problema aconteça novamente.

Foi apenas seis dias depois que Lombardo recebeu uma resposta de Tim Cook na rede social. “Feliz de ouvir que seu marido está se sentindo melhor, Elissa. Histórias como a sua nos inspiram — obrigada por nos contar”, escreveu o presidente-executivo da Apple.

A notícia confirmou um desejo da Apple: ajudar a saúde de seus usuários. No ano passado, a empresa lançou duas atualizações para o Apple Watch para auxiliar a diagnosticar batimentos cardíacos irregulares.

O monitoramento da saúde

A promessa de monitorar os batimentos cardíacos dos usuários já está atrelada à venda dos Apple Watch. Na página do último modelo de seu relógio, o Watch Series 4, a Apple afirma que o dispositivo registra todos os batimentos, detectando e “alertando o usuário antes mesmo de sentir algum sintoma”.

Hoje, a companhia liderada por Tim Cook possui um aplicativo nativo em seus dispositivos dedicados à saúde. Dessa forma, os dados de frequência cardíaca e qualidade do sono — algo também medido pelo relógio — tornam os dados acessíveis em qualquer dispositivo Apple que utilizem.

Mas a preocupação com a saúde vai além do coração. A empresa também possui um aplicativo para lembrar os usuários do benefício de uma respiração pausada para diminuir o estresse, detecta quando usuários caem (e oferece ajuda), entre outros.

Esses são movimentos que aproximam ainda mais a companhia do setor de serviços e a distancia do rótulo de “criadora do iPhone”.

Comentários

Mais em Nova Economia