Está esperando o que para ver Fintech Revolution?

Está no ar a série original da StartSe que revela o que as principais fintechs do mundo estão fazendo para se tornarem unicórnios, os desafios que seus empreendedores tiveram de superar para encontrar seu lugar no mercado e os erros que cometeram antes de brilhar

0
shares

A StartSe lançou esta semana o curso Fintech Revolution. Trata-se de uma série educativa que mostra os bastidores da revolução causada pelas fintechs. Em oito capítulos, é possível conhecer os primeiros anos da revolução causada pelas startups financeiras até as próximas ondas desta evolução, que está mudando profundamente a forma como as pessoas se relacionam com o dinheiro e com o sistema financeiro tradicional.

Se você ainda não sentiu o impacto desta revolução, a série Fintech Revolution é uma oportunidade de aprender porque as fintechs ganharam tanta projeção na última década. Existem hoje no Brasil 453 startups financeiras, segundo estudo Radar Fintech Lab de 2018. Nos Estados Unidos, são 2.501 fintechs. Mais de dois em cada cinco clientes das fintech (43,4%) citam a facilidade de abrir a conta como principal motivo para ter se tornado cliente de uma delas.

Com taxas mais baratas, atendimento menos burocrático e serviços mais ágeis, elas estão ganhando corações e mentes das pessoas e empresas. As fintechs atuam em setores tão diversos como pagamentos, gestão financeira, empréstimos, seguros, investimentos, moedas digitais e até negociação de dívidas. E não param de surgir e crescer.

Aprenda com os maiores e melhores

Para o curso Fintech Revolution, a StartSe entrevistou, de setembro a outubro de 2018, quase 30 personagens-chave que contam os bastidores desta revolução. Fazem parte deste grupo Benjamin Gleason (GuiaBolso), Cristina Junqueira (Nubank) Henrique Dubugras (Brex) e Sergio Furio (Creditas); os chineses Arthur Xiaosong (LianLian Pay), Benny Li (Huaxia Finance) e Stone Zheng (CrediGo), e Shuonan Chen (Agile Venture Capital), Emily Gill (Varo Money), Saeed Amidi (PlugandPlay), Ryan Zurrer (Polychain Capital), entre outros.

A partir destas entrevistas, a série mostra por que os modelos de negócios destas empresas são tão disruptivos em relação aos bancos e corretoras. Nas conversas com os fundadores, eles revelam os desafios que tiveram de superar para captar recursos, montar sua empresa, lutar com gigantes do sistema financeiro, até encontrar o seu lugar no mercado.

Os empreendedores falam dos erros que cometeram e das lições aprendidas, que são ensinamentos que vão inspirar empreendedores e profissionais que desejam empreender.

Na quinta-feira (11), foi realizado um workshop, que contou com a participação de Pedro Englert e Bruno Ferrari, da StartSe, e Marcelo Maisonnave (um dos fundadores da XP Investimentos e sócio da fintech Warren). No Workshop, cujo objetivo era promover o curso Fintech Revolution, os três discutiram a importância das fintenchs na quebra do monopólio dos grandes bancos – isso tornou possível a maior oferta de produtos e serviços financeiros (crédito e investimentos, por exemplo) a preços mais acessíveis para muito mais gente. Discutiram a liderança dos Estados Unidos e da China como berços das fintechs – e como o Brasil tem rapidamente se tornado mais atrativo para as startups financeiras.

Veja o Workshop Fintech Revolution

Assista a série Fintech Revolution

Para saber mais sobre a revolução fintech, assista a série. Aprenda o que as principais startups financeiras estão fazendo para se tornarem empresas de sucesso, como conquistaram clientes e fãs e também os principais erros que você pode evitar, se quer empreender. Estados Unidos e China começaram essa revolução; no Brasil, os primeiros unicórnios já surgiram. Não deixe de assistir Fintech Revolution, uma série original da StartSe.

Junte-se a mais de 400.000 Empresários e Profissionais Para Conhecer os Negócios Mais Disruptivos do Mundo!

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Investimentos
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema

Comentários

Mais em Nova Economia