Te cuida, Yellow: a bike elétrica da Uber vem aí

As bicicletas elétricas da Jump poderão ser compartilhadas pelo próprio aplicativo da Uber - e uma das primeiras cidades a receber a novidade será São Paulo

0
shares

As bicicletas compartilhadas devem receber um grande reforço em breve. A expectativa é que as bikes elétricas da Uber, chamadas de Jump, desembarquem em 2019 no Brasil, segundo uma notícia publicada na última segunda-feira (26) pelo UOL. Uma das primeiras cidades a receber a bicicleta compartilhada da Uber será São Paulo.

A empresa lançou o serviço de compartilhamento de bicicletas há 10 meses atrás, inicialmente em São Francisco, na Califórnia.  Desde então, usuários da Uber podem alugá-las pelo aplicativo, e a novidade já se estendeu para outras cidades dos Estados Unidos.

As bicicletas disponibilizadas pela Uber serão elétricas, o que traz um diferencial frente iniciativas semelhantes, como a Yellow, que ainda não oferece essa opção.

Para utilizá-las, o usuário poderá visualizar, no aplicativo, as bicicletas disponíveis nos arredores e escolher a desejada. Após encontrá-la, deve apenas digitar uma senha e a bicicleta será destravada e ficará pronta para uso. A viagem é encerrada quando a bicicleta é presa em um poste ou local propício na rua.

As bicicletas poderão ser estacionadas em qualquer lugar, desde que estejam seguras e não atrapalhem o trânsito. O pagamento é feito direto pelo aplicativo da Uber.

A Jump deverá se responsabilizar por realizar a manutenção das bicicletas – inclusive as recarregando no fim do dia.

Jump

A solução é uma forma da Uber se manter uma solução atrativa mesmo em horários de pico, nos quais o trânsito aumenta e o valor das viagens entra em preço dinâmico.

Dessa forma, mesmo que as viagens estejam acima do preço esperado, os usuários podem deslizar para o lado e escolher uma opção mais acessível e sustentável que não é impactada pela hora do rush. A Jump possui ainda patinetes elétricos, mas não há expectativa do serviço vir para o Brasil.

De acordo com a Jump, as bicicletas possuem autonomia de 60 km e suas peças não são facilmente reaproveitáveis – o que pode diminuir roubos e vandalismos. A preocupação é válida principalmente após a experiência da Yellow, no qual bicicletas foram encontradas até a venda na internet.

A Jump foi adquirida pela Uber há oito meses – dois meses depois de começar a operar dentro da plataforma da empresa, em São Francisco. O valor da compra não foi informado, mas fontes afirmam que foi próximo a US$ 200 milhões.

Na época, a startup havia se tornado o primeiro serviço de compartilhamento de bicicletas a receber aprovação para atuar na cidade.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários