Google processa Uber e Otto por roubo de documentos secretos

Avatar

Por Lucas Bicudo

24 de fevereiro de 2017 às 15:50 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Waymo, companhia de carros autônomos da Alphabet – a holding do Google -, está processando a Uber e sua empresa de caminhões autônomos Otto. A companhia diz que a Uber “se apropriou indevidamente” de seus segredos comerciais e infringiu suas patentes.

Especificamente, diz ter encontrado evidências de que a Otto e a Uber vêm usando elementos de sua tecnologia de sensores LiDAR, que a empresa revelou no início deste ano. Em sua denúncia, a empresa diz que desenvolveu uma “combinação de sistemas capazes de fornecer informações críticas para a operação de veículos totalmente autônomos”, que foram tomadas pelo fundador da Otto Anthony Levandowski – que anteriormente era gerente da Waymo.

Levandowski baixou mais de 14 mil “arquivos altamente confidenciais e proprietários”, antes de deixar a empresa. Surpreendentemente, a Waymo diz que descobriu o “roubo” quando um fornecedor acidentalmente a copiou em e-mails destinados para as outras duas startups, que continha um desenho de um circuito igualzinho ao produzido na casa.

A denúncia faz ainda mais alegações, acusando outros ex-funcionários da Waymo, que se juntaram à Otto, de baixarem mais de seus segredos comerciais, incluindo listas de fornecedores e documentos técnicos.

O processo cita que o desenvolvimento da própria tecnologia LiDAR da Otto foi a chave para a sua aquisição pela Uber. Levandowski e sua companhia ganharam mais de meio bilhão de dólares diretamente com o roubo.

Obviamente este é um enorme revés para a Uber, num momento em que também está enfrentando um monte de problemas internos e externos relacionados ao suposto assédio sexual realizado por um ex-funcionário.

(via TechCrunch)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]